Jundiaí

Mudança de clientes aumenta as vendas de produtos industriais

Lojas de utensílios industriais de cozinha registraram até 50% de aumento nas vendas


JORNAL DE JUNDIAÍ
Valdomiro Zottini Júnior registrou aumento de até 50% nas vendas
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

O aumento do desemprego durante o período de isolamento social mudou o perfil de clientes das lojas de utensílios industriais de cozinha que chegaram a registrar até 50% de aumento nas vendas.

Itens como fritadeiras, chapas, fogões e panelas foram o destaque, em especial por aqueles que investiram em um negócio próprio. Segundo o gerente de uma loja do segmento, Eduardo Martins, o crescimento chegou a 40%. "Muitas pessoas perderam o emprego e com o dinheiro que receberam, resolveram investir nesses produtos, montando uma pequena cozinha ou melhorando a cozinha que já tinha, para conseguir produzir em maiores escalas", pontua.

A maior procura foi por panelas, fogões, chapas e toda a linha de hamburgueria, tacho para fritar pastel e frigideiras. Os valores da loja de Martins variam bastante. "Temos panelas a partir de R$ 39 e fogões por R$ 230, mas graças a Deus temos tido boas vendas", relata com satisfação.

Maísa Fabrício dos Santos, gerente de uma loja de utensílios de cozinha no Centro, conta que não houve um aumento nas vendas gerais, mas em alguns itens específicos, como formas e panelas de pressão, que chegaram a registrar aumento de 20% a 30%, em comparação com o período anterior à pandemia.

"Desde que abrimos, nosso perfil de clientes eram bares, restaurantes, churrascarias, lanchonetes e cozinhas industriais. Durante a pandemia, com o aumento do desemprego e o fechamento desses estabelecimentos, o perfil de clientes mudou e o pessoal começou a produzir trufas, salgadinhos, entre outros, dentro de suas casas, como forma da renda extra. Teve gente que pegou a garagem para montar uma cozinha e fazer marmitex, por exemplo", conta.

Os preços da loja de Maísa mudam conforme os tamanhos dos produtos. "As formas médias, por exemplo, saem a partir de R$ 16. Temos panelas de pressão de 2 litros até 40 litros, as menores a partir de R$ 70 e as maiores, que são industriais, podem chegar até R$ 1 mil", afirma.

Valdomiro Zottini Júnior, proprietário de uma loja de utensílios industriais de cozinha no Centro, registrou aumento de 50% na venda dos produtos industriais durante a pandemia.

"Atendo praticamente três tipos de clientes, aqueles que começaram a utilizar os aplicativos de delivery, então sentiram a necessidade de estruturar melhor suas cozinhas para conseguir atender as demandas. Aqueles que moram em condomínios e começaram a cozinhar e vender dentro do próprio condomínio como forma de renda extra e os donos de restaurantes que não vendiam lanches, mas por causa do fechamento, resolveram transformar o restaurante em uma lanchonete para delivery", explica.

Segundo Júnior, os carros-chefes na pandemia estão sendo as espátulas, as fritadeiras, as chapas e o forno industrial para assar pães caseiros e pizzas. "Fritadeiras saem a partir de R$ 500, as chapas a partir de R$ 650, o forno industrial a partir de R$ 1 mil e as espátulas a partir de R$ 25", afirma.

(Lucas Hideo)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: