Jundiaí

Venda de macarrão instantâneo levanta alerta


                      ALEXANDRE MARTINS
Fernanda Sette afirma que produtos baratos, como macarrão e salsicha, vendem mais
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

A qualidade do alimento dentro de casa foi um dos itens mais afetados durante a pandemia forçando o consumidor a fazer substituições, nem sempre mais saudáveis. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias, Pães e Bolos Industrializados (Abimapi), o produto que mais impulsionou as vendas do setor foi o macarrão instantâneo: uma das refeições mais baratas.

A funcionária de um mercado em Jundiaí, Fernanda Sette, confirma os números ao dizer que as vendas aumentaram consideravelmente. "As coisas mais baratas estão saindo mais. Macarrão instantâneo, salsicha e até frango, ao contrário da carne que vendemos menos. Tem momentos em que precisamos repor as gôndolas do macarrão constantemente", relata.

A consumidora Aparecida da Costa conta que não precisou adaptar tanto a alimentação, mas nas compras opta por marcas mais baratas de limpeza. "O consumo está igual. A carne e os produtos de higiene subiram muito".

A Abimapi garante que o faturamento das empresas de massas deve subir de 5% a 10% em 2021. No ano passado, já em pandemia, as empresas que compõem a Abimapi venderam mais macarrão instantâneo. Foram 189 mil toneladas vendidas, R$ 3,1 bilhões. Faturamento 19% maior que o de 2019, quando foram vendidas 168 mil toneladas, R$ 2,6 bilhões.

RISCO

Nutricionista clínico e esportivo, Renato Lorenzon alerta para o consumo excessivo de alguns alimentos, como o macarrão instantâneo. "Este produto não tem nutrientes, além de vir acompanhado de um sachê com sódio elevado. O ideal é que a alimentação tenha ingredientes naturais. Dependendo do nível de dependência deste tipo de alimento, a pessoa não tem escolha, mas uma refeição com arroz, feijão, vegetais e um ovo ou frango, que são mais baratos, jé é excelente."

Não só o macarrão instantâneo é rico em carboidratos como também os alimentos não perecíveis, que são amplamente doados a quem não tem escolha, como arroz, feijão, fubá e macarrão. "O excesso de carboidrato causa excesso de peso e se for um carboidrato de rápida absorção, há o risco de diabetes. Arroz e feijão são excelentes. O macarrão também é um bom alimento, mas o ideal é equilibrar com nutrientes e uma fonte de proteínas."

(Nathália Sousa)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: