Jundiaí

Expansão do turismo rural demanda maior fiscalização

A fiscalização e regulamentação dos pontos turísticos precisaram ser intensificadas para garantir a segurança e o conforto dos turistas


ARQUIVO PESSOAL
Mirian Oliveira e Ivan Lúcio comemoram a retomada do turismo rural
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Diante da retomada e expansão do Turismo Rural de Jundiaí, a fiscalização e regulamentação dos pontos turísticos precisaram ser intensificadas para garantir a segurança e o conforto dos turistas.

De acordo com a Divisão de Fiscalização do Comércio e do Ambulante, órgão da Unidade de Gestão de Governo e Finanças (UGGF), a fiscalização de estabelecimentos comerciais é rigorosa e acontece quando o empreendedor protocola o pedido de licenciamento da atividade ou quando há denúncia para verificação de regularidade da atividade no local. Após a expansão e retomada das atividades, a fiscalização precisou se intensificar.

Além da regulamentação, a diretora do Departamento de Fomento ao Turismo da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT), Marcela Moro, informa que o órgão realiza a capacitação dos proprietários dos terrenos através de cursos, palestras, lives e outras ações para capacitar e orientar sobre questões de cumprimento dos protocolos de saúde gerais e o enfrentamento do coronavírus.

"Entre as atividades, realizamos reuniões do Conselho Municipal de Turismo, com objetivo de fazer as alterações ou atualizações das informações do Plano São Paulo, tirando dúvidas e prestando esclarecimentos para os empreendedores", afirma Marcela Moro.

O empreendedor Leandro Oliva Spinassi é proprietário de um sítio no bairro Ivoturucaia e faz parte da Rota da Uva, um dos trajetos do turismo rural, e trabalha com a venda de defumados e vinhos, oferecendo degustação no local.

Ele teve seu terreno regularizado há um mês e disse que o procedimento foi rápido e tranquilo. "Precisei passar por algumas etapas para regularizar meu comércio e começar a receber visitantes no sítio, então protocolei o pedido de regulamentação e corri atrás de toda a documentação do terreno", afirma Leandro Spinassi.

O proprietário recebe de 30 a 50 visitantes por mês e já pretende expandir seus produtos e serviços para atrair mais turistas.

REGULAMENTAÇÃO

Neste momento, quatro empreendimentos estão em processo de regulamentação em etapas diferentes. Os demais já encontram-se regularizados. Para a abertura de um novo empreendimento é necessário abrir processo no Balcão do Empreendedor, onde estão disponibilizadas as informações e a documentação solicitada.

A empresária e proprietária de uma adega no bairro Champirra, Mirian dos Santos Oliveira, de 43 anos, faz parte da Rota do Vinho de Jundiaí e da Cooperativa Agrícola dos Produtores de Vinhos (AVA).

Segundo ela, a Guarda Municipal realiza rondas constantes pelo bairro para fiscalizar os centros turísticos, principalmente os mais movimentados. "Não tivemos problemas com a fiscalização, pois seguimos à risca as recomendações sanitárias e os protocolos de segurança, além de limitar o número de visitantes na área interna da adega", afirma Mirian Oliveira.

Mirian e seu marido, Ivan Lúcio Oliveira, recebem, mensalmente, uma média de 300 turistas na adega.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA

A diretora Marcela Moro afirma que a Vigilância Sanitária, órgão da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), comparece nestes pontos turísticos apenas a partir de denúncias ou mediante a solicitação do licenciamento sanitário.

(Luana Nascimbene)

 

Credito: ALEXANDRE MARTINS / Descrição: CAXAMBU


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: