Jundiaí

Com tempo seco e calor, cães sofrem com problemas respiratórios

ALTAS TEMPERATURAS Falta de umidade no ar pode agravar as reações fisiológicas de alguns cachorros, como a respiração paroxística


ARQUIVO PESSOAL
Maria Eduarda Bacochina fala sobre cuidados com a saúde de seus pets
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

O tempo seco e as altas temperaturas têm deixado os tutores de pets em alerta, em especial para algumas raças, como bulldogs e pugs. Por terem focinhos mais achatados, a respiração destas raças fica comprometida, mas a atenção para o período é para todos os cães.

Segundo explica o veterinário André Antonucci, de 38 anos, os donos devem ficar atentos a certos comportamentos dos pets. "Cães muito ofegantes dentro ou fora de casa e com muita tosse podem sobrecarregar a parte cardíaca, principalmente os mais idosos", explica.

É o caso da Laka, uma cadela da raça pug da autônoma Talissa Loreto, de 25 anos. Ela está mais ofegante agora nos dias mais quentes. "Nesse calor já aconteceu de eu levar para passear e na volta trazer no colo por dificuldades para respirar" afirmou Talissa.

Para evitar as crises, Talissa a hidrata frequentemente. "Optei por adquirir uma garrafa de água portátil para cachorro, para hidratar a Laka durante os passeios".

TEMPO SECO

Falta de umidade no ar pode agravar as reações fisiológicas de alguns cachorros, como a respiração paroxística inspiratória, mais conhecida como espirro reverso.

Os três cachorros da raça Shih Tzu da estudante Maria Eduarda Bacochina, de 19 anos, sofrem dessa condição.

"No calor eles pioram bastante. Eu e meus pais buscamos não deixá-los muito tempo no sol devido as reações. Também sempre oferecemos água de coco para hidratar e algumas frutas refrescantes" conta Maria Eduarda.

É através da respiração que ocorre a troca de calor dos cães, portanto, é comum em épocas mais quentes que eles fiquem mais cansados. A veterinária Fernanda Zambon, de 40 anos, explica que em alguns casos a tosse pode induzir a problemas mais sérios.

"Se o animal está muito ofegante ou tossindo muito pode significar algo mais grave e precisa ser avaliado por um profissional. Existem patologias, como o colapso de traqueia, que é muito comum em pets pequenos" afirma a veterinária.

CUIDADOS

Para tornar o ambiente mais confortável para o pet, André Antonucci recomenda refrigerar o espaço com ar-condicionado ou utilizar umidificador de ar. Para quem não tem condições de ter esses aparelhos, a sugestão é borrifar água ocasionalmente no local.

Em relação a temperatura corporal, os animais têm a capacidade de se adequar as mudanças climáticas, portanto, não é indicado raspar os pelos de algumas raças. "Os subpelos ajudam os cachorros a manter a temperatura e tosar é uma falsa sensação de melhora, na verdade pode prejudicar" disse Antonucci.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: