Jundiaí

Brechós focam em segmentos específicos para impulsionar vendas


       ALEXANDRE MARTINS
Luan Pinheiro afirma que as pessoas estão aceitando mais os brechós
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Em Jundiaí, alguns brechós fogem dos negócios tradicionais e focam em segmentos exclusivos garantir as vendas para públicos específicos.

Da moda street wear à infantil, a personalização é uma opção para atrair clientes, mas os preços também ajudam.

Segundo Luan Pinheiro, proprietário de um brechó de street wear, ou moda de rua, a modernização do espaço e o impulsionamento virtual deixaram seu negócio em evidência. "Quando se fala em brechó, as pessoas costumam associar um lugar com roupas sujas ou velhas. Eu resolvi montar esse brechó mais contemporâneo, construído com materiais recicláveis e reaproveitados. Me inspirei em alguns brechós norte-americanos e juntei uma temática esportiva com o vintage", conta.

Ele aproveitou para incluir em seu portfólio uma moda mais esportiva. "Tenho camisas de time antigas, de basquete, de bandas de rock, peças de roupa modernas e outras mais raras, além dos tênis, os nossos carro-chefes. Fazemos uma curadoria com os produtos que chegam caso precisem, passando por costura e lavagem", ressalta.

Pinheiro possui o brechó desde 2018 e afirma que a ideia da 'moda sustentável' vai crescer ainda mais. "Fora a loja física, nós temos um site e as redes sociais e por conta disso, graças a Deus não ficamos parados na pandemia", comenta.

Há mais de dez anos com o brechó infantil no Centro, Antonio Carlos da Silva diz que a escolha do público alvo foi estratégia de mercado. "Só trabalhamos com peças usadas e chegam muitas aqui, pois em certas idades, principalmente entre zero a 1 ano, eles acabam crescendo mais rápido e perdendo as roupas. Então, dá para recuperar essas peças pouco utilizadas e revender", comenta.

Segundo Silva, as pessoas têm aceitado mais a ideia de comprar roupas em brechós e isso tem aquecido as vendas na loja. "Pensando em economizar por causa da pandemia, muitos clientes novos estão vindo aqui e além disso, eles trazem peças usadas para fazer um tipo de 'troca' comigo, ficando tudo bem baratinho e sendo proveitoso para todos", pontua.

Para fazer as trocas, Silva explica que a pessoa precisa trazer, no mínimo, um lote com 20 peças, assim, ele faz a avaliação e passa o valor, podendo ter descontos para outras mercadorias da loja.

(Lucas Hideo)

SIGA NAS REDES

Luan: @brechodofuture

Antonio: @brechoinfantil_jundiai

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: