Jundiaí

Modelo sustentável: novas lixeiras começam a ser instaladas na cidade


Divulgação
Os recicláveis coletados serão levados para o Geresol para triagem
Crédito: Divulgação

A Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos, deu início, nesta quinta-feira (26), à instalação de um novo modelo de lixeira na região central, nas vias de grande circulação e nos parques públicos da cidade. Os dois primeiros pontos ficam no Centro. Com o novo modelo, o lixo descartado em locais públicos passa a ser separado em duas lixeiras lado a lado, uma para o lixo orgânico e outra para o reciclável.

Segundo o diretor do Departamento de Limpeza Pública, Márcio Moraes, o novo modelo busca preservar ainda mais o meio ambiente, dando aos frequentadores dessas áreas a opção para o descarte correto. Os recicláveis coletados serão levados para o Geresol (Gerenciamento de Resíduos Sólidos), onde passam por triagem e recebem a destinação correta. “Nossa cidade, que já faz a separação de grande quantidade de recicláveis, passa assim a fazer ainda mais, com foco na sustentabilidade e inclusive com retorno financeiro gerado pela venda desse resíduo.” Desde 2017, a aquisição de novas lixeiras é feita com parte da renda adquirida com a comercialização dos recicláveis.

Atualmente, há 2,5 mil lixeiras convencionais – para todo tipo de lixo – espalhadas pela cidade. Com as trocas, a antiga estrutura pode ser reaproveitada. “Não faremos a instalação desse novo modelo em toda a cidade, mas priorizaremos locais de grande movimentação de pessoas”, explica o diretor. Apenas na região central, há aproximadamente 200 pontos que receberão o equipamento. Com cores diferentes, uma marrom e a outra verde, as lixeiras são adesivadas e indicam os tipos de resíduo que podem ser descartados em cada uma.

“Além da limpeza, vejo grande importância em ações assim, que protegem o meio ambiente”, diz a autônoma Deuciane Pelizer, que passava pelo Centro de Jundiaí no momento da instalação das lixeiras. “Acho muito positivo e inclusive educativo, pois ajuda as pessoas a fazerem a separação do lixo”, opinou o comerciante Roberto Fernando Giovanni.


Notícias relevantes: