Jundiaí

Pequenos detalhes fazem a diferença no consumo de combustível

MANUTENÇÃO Com a alta dos preços de combustíveis, mecânicos dão dicas para manter o carro alinhado para que o consumo não fique mais acentuado ainda


ARQUIVO PESSOAL
Hugo Leonardo afirma que pequenas detalhes podem fazer diferença
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

O aumento do preço dos combustíveis, principalmente a gasolina que já chegou a R$ 7 em alguns lugares do país, preocupa os consumidores que utilizam os veículos diariamente. O JJ procurou alguns especialistas para falar como a manutenção correta do carro pode ajudar nesta economia. (veja dicas no final da matéria).

Segundo Hugo Leonardo, mecânico há 10 anos, existem muitos fatores que podem passar despercebido pelas pessoas, mas que fazem grande diferença no consumo do automóvel. Uma simples calibragem pode ajudar.

"Calibrar a pressão dos pneus, evitar carregar peso extra, não encher o tanque todo quando se faz percursos pequenos podem ajudar nesta economia. Quem pega muita estrada deve evitar as janelas abertas porque cria uma pressão dentro do carro forçando mais o motor e consumindo mais combustível", pontua.

De acordo com mecânico, os clientes perguntam bastante sobre o Gás Natural Veicular (GNV), mas só compensa para quem utiliza muito o veículo no cotidiano. "O pessoal acaba achando que o carro está consumindo mais do que o 'normal', mas o problema mesmo é a alta do combustível. O ideal seria que as pessoas marcassem e observassem o consumo do seu próprio carro. Quanto mais em dia estiver a manutenção do veículo, menos ele irá gastar", afirma.

Para Sérgio Ricardo Ferreira dos Santos, que trabalha há 26 anos no segmento automobilístico, o estilo de conduta pode ser um fator decisivo para o consumo de combustível do carro. "As pessoas precisam procurar por uma direção menos agressiva, como por exemplo, fazer a troca de marcha sem deixar a rotação do motor subir muito, mas lembrar que o contrário também faz gastar mais combustível, então, em torno de 3,500 a 4,000 rpm seria o ideal para fazer a troca", conta.

Santos afirma que atualmente e por conta dos aumentos de preço, as pessoas acabam com a falsa impressão de que o carro está consumindo mais do que deveria. "Toda vez que acontece um novo aumento do preço de combustível, os clientes me procuram pedindo ajuda. Reclamando que o carro é um 'gastão', mas precisamos reforçar que antes, R$ 50 de gasolina fazia uma quilometragem muito diferente do mesmo valor de hoje em dia, então o problema pode não ser o carro", afirma.

Segundo Santos, é preciso que o carro esteja com as revisões periódicas em ordem também. "O certo seria levar para o mecânico a cada 10,000 km rodados, pois o carro desalinhado irá gastar mais combustível, por exemplo", explica.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: