Jundiaí

Estrada Velha de São Paulo se torna via perigosa

PERIGO NA RODOVIA De acordo com o Infosiga houve aumento de acidentes comparado ao ano passado


                 ALEXANDRE MARTINS
Quatro acidentes na Tancredo Neves ocorreram apenas neste sábado
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

A rodovia Presidente Tancredo de Almeida Neves, ligação entre as cidades de Jundiaí e Franco da Rocha, mais conhecida como Estrada Velha de São Paulo, tem se tornado uma das vidas mais perigosas na região. Só este ano foram registradas 24 ocorrências de acidentes de trânsito entre os meses de janeiro a julho: quatro só no final de semana.

De acordo com o Infomapa, mapa interativo do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga), o número de acidentes de trânsito nesta rodovia no mesmo período, em 2020, foi de 23, apresentando o aumento de um acidente em relação a este ano. Entre as ocorrências estão colisão, atropelamento e choque.

Procurado, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), concessionária que administra 33,2 quilômetros a rodovia Tancredo Neves, não respondeu sobre o número de acidentes de trânsito, os motivos e sobre a fiscalização e sinalização do local, apenas relatou sobre os investimentos (veja abaixo).

Além de ser uma via importante para outros municípios, moradores do Santa Gertrudes, por exemplo, utilizam frequentemente a via e lamentam o descaso.

A funcionária de uma mercearia do bairro Santa Gertrudes, às margens da Tancredo Neves, Mayara Bittencourt, de 21 anos, presenciou diversos acidentes na rodovia. "É uma rodovia muito perigosa e os carros passam em alta velocidade. Eu já presenciei vários tipos de acidentes por aqui, principalmente colisões", afirma a funcionária.

Mayara acredita que as causas mais comuns para ocorrer tantos acidentes é pelo excesso de velocidade dos motoristas e as ultrapassagens ilegais na via de mão única. "Como aqui passa muito caminhão a todo momento acontecem ultrapassagens pela estrada, principalmente pelos motociclistas. São eles que se saem mais feridos", completa Mayara.

Diante destas ultrapassagens, Mayara já presenciou mais de um acidente no mesmo momento. "Já vi duas colisões ao mesmo tempo, enquanto uma moto tentava fazer a ultrapassagem e colidiu com um carro, do outro lado da pista dois caminhões se chocaram", diz.

Para o funcionário de uma loja de materiais de construção localizado na frente da rodovia, Marcos Roberto Ponte, de 52 anos, o maior problema desta rodovia é o trânsito. "Um dos principais motivos para tanto acidente é grande fluxo de veículos, principalmente nos horários de pico, horário que os acidentes aumentam", afirma Marcos.

Dentre todos os acidentes que o funcionário presenciou, dois deles foram fatais. "Infelizmente esses acidentes são normais por aqui. É coisa que a gente presencia no dia a dia, mas precisa acabar", lamenta Ponte.

Segundo o frentista Milton Pereira, de 61 anos, a estrada é muito perigosa e as condições da pista são ruins. "Além de ser perigosa é muito movimentada, a via é curta, de vez em quando a gente percebe objetos na pista, como galhos de árvore e os acidentes estão cada vez piores", afirma Milton.

OBRAS

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informa que vai implantar melhorias na via por meio do Estrada Asfaltada, programa do Governo de SP que vai investir R$ 4,5 milhões em 29 quilômetros de extensão entre os municípios de Jundiaí, Louveira, Vinhedo, Valinhos e Campinas.

O processo de licitação está em andamento e a previsão é que as obras sejam iniciadas até o final deste ano.

No que diz respeito a atendimento a acidentes, a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transportes (UGMT) ressalta que, caso algum agente de trânsito se depare com esses casos, ele pode fazer o isolamento do local até a chegada das equipes responsáveis da via. O trecho na altura da Vila Militar conta com investimentos realizados pela Prefeitura de Jundiaí, com a construção de dispositivo de acesso entre a rodovia e a avenida 14 de Dezembro.

A próxima etapa consiste na construção de um viaduto que possibilitará o cruzamento em desnível com acessos para a avenida Samuel Martins passando por baixo da Tancredo Neves, além de alças para acessos às demais vias e sentidos. Esta nova solução conta com projeto em fase final de elaboração.

Vale ressaltar também que durante o ano a UGMT realiza campanhas para aumentar a educação no trânsito, como o Maio Amarelo e a Semana do Trânsito, em setembro, com o intuito de conscientizar os munícipes e reduzir o número de acidentes, preservando a vida de motoristas e pedestres em todas as vidas da cidade.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: