Jundiaí

Durante a pandemia, 77 mil cestas entregues


DIVULGAÇÃO
Com a ampliação de entregas, o número de beneficiários aumentou
Crédito: DIVULGAÇÃO

Em quase dois anos de pandemia, cerca de 77 mil cestas básicas foram entregues à população vulnerável em Jundiaí, sendo 73 mil delas por meio do Plano Municipal de Segurança Alimentar e outras mais de 3,7 mil cestas verdes (mais de 47,5 toneladas de alimentos) distribuídas pelo Banco de Alimentos municipal, que ampliou o número de captações, beneficiários e os locais de entregas.

A gestora da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), Maria Brant, reforça sobre o apoio recebido pela Prefeitura de Jundiaí durante este período. "Contamos com importantes parceiros da iniciativa privada e da sociedade civil, que contribuíram com volumosas doações de alimentos, como as redes Tauste e Boa de Supermercados, o Ceasa Jundiaí (ECAJ) e os munícipes que doaram via Fundo Social de Solidariedade ou nos locais de vacinação, por meio da campanha de Vacinação Solidária. Além das lideranças locais, como as Associações Vicentinas, que nos auxiliaram na identificação de mais famílias nos territórios dos Cras".

Entre as beneficiárias do Banco de Alimentos, está a moradora do Santa Gertrudes, Ilda Vilches. "Com o dinheiro economizado, dá para pagar o aluguel e outras contas, além de comprar medicamentos".

Já para Nelson Vicente da Silva, morador do Jardim Estádio, a cesta e o apoio do Cras auxilia enquanto busca obter benefícios sociais. "Está muito difícil garantir a comida no prato. Sem contar que o preço do gás também disparou".

AJUDA

O Banco de Alimentos aumentou a captação junto ao Ceasa Jundiaí (ECAJ) e expandiu as entregas de quatro Cras para todas as seis unidades do Município, de modo que pelo Cras Central há dois pontos de entregas, sendo o Jardim Fepasa e Vila Ana. Também foram incluídas para as entregas a Vila dos Idosos, o Programa Vida Longa, e, conforme demanda, também o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) e a Casa Sol (equipamento voltado a mulheres vítimas de violência).

Com a ampliação de entregas, o número de beneficiários do Banco de Alimentos também saltou. Até antes da pandemia, havia 390 pessoas de 70 famílias. Já em agosto, receberam as cestas mais de mil pessoas, de 220 famílias.

"Desde o início da pandemia, a Prefeitura tem concentrado seus esforços para minimizar os impactos e garantir a Segurança Alimentar da população mais vulnerável. A esses esforços soma-se ainda o Benefício Social Emergencial, recentemente aprovado, para assegurar cerca de R$ 1,7 milhão em investimentos para que jovens, adultos e idosos possam se recolocar de pé, garantindo transferência de renda e formação com prestação de serviços à comunidade", explicou o prefeito Luiz Fernando Machado.

(Da Redação)


Notícias relevantes: