Jundiaí

Atleta representa Jundiaí em campeonatos de fisiculturismo


         ALEXANDRE MARTINS
William Costa dos Santos começou no esporte para testar seus limites
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Adquirindo reconhecimento e crescendo como esporte, o fisiculturismo ganha cada vez mais adeptos no país, aumentando o nível das competições. Em Jundiaí, atleta ressalta os desafios e objetivos dentro do

O fisiculturismo é um sistema de exercícios que visa o desenvolvimento dos músculos corporais a partir da hipertrofia muscular, ou seja, aumento no volume da massa muscular para fins estéticos e para explorar os limites do corpo humano.

Apesar de não ser considerado um esporte oficial e olímpico, ele está presente nos Jogos Pan-Americanos e nos Jogos Asiáticos.

Durante o período de isolamento social, o operador de máquinas William Costa dos Santos, de 32 anos, aproveitou seu bom metabolismo em ganhar massa muscular para se aprofundar no fisiculturismo.

"Treino desde os 17 anos, mas foi na pandemia que decidi seguir firme para entrar nas competições. Comecei a fazer um trabalho puxado de cardio e juntamente com uma dieta especializada, fui ficando cada vez mais motivado", conta.

Santos afirma que os treinos de preparação para o fisiculturismo são muito diferentes dos treinos normais nas academias. "Quando escolhi meu primeiro campeonato, o estadual, comecei a procurar ajuda de custos e, assim, consegui bons patrocínios. Minha primeira competição foi o estadual organizado pela Associação Nacional de Fisiculturistas Amadores (Nabba), em julho deste ano. Fiquei no entre os sete melhores, sendo estreante", ressalta.

Em agosto, Santos ficou no top 3 do campeonato paulista, organizado pela Federação Internacional de Fisiculturismo (IFBB). "Dentro de cada competição, há categorias diferentes, separadas por peso e altura, além de regras específicas para pontuação em cada uma. O método de apresentação são as mesmas, tem o individual e o comparativo", explica.

Segundo o atleta, as avaliações variam de acordo com cada federação, analisando estética, volume, entre outros itens. "A partir de momento em que eu escolho o campeonato que quero participar, mudo toda minha rotina de treinos e alimentação. Se o campeonato foca estética, por exemplo, o volume é o de menos, então dedico meu trabalho para a secura e definição muscular. Atualmente estou na 'off season', ou seja, fora de temporada, pois não irei mais competir neste ano e meu objetivo agora é ganhar massa", comenta.

Para ele, o fisiculturismo cresceu muito nos últimos dois anos no Brasil. "Principalmente por conta da pandemia, o pessoal está optando por ter uma qualidade de vida melhor, mais saudável e dentro disso há muitos aderindo às competições para mostrar o físico e ver até que nível o corpo consegue chegar. Minha intenção de competir, por exemplo, era saber como meu corpo ficaria e, depois que entrei na dieta, a mudança ocorreu de maneira drástica, de uma semana para a outra, isso vai dando mais ânimo inclusive", pontua.

ACOMPANHE O ATLETA NAS REDES

 

Instagram: @will_89oficial


 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: