Jundiaí

Comerciantes ressaltam boa procura pelos livros

LEITURA Em Jundiaí, as vendas de temas infantis e para alfabetização estão em alta no segmento de livraria


JORNAL DE JUNDIAI
Julio Cesar Rosa Celedon afirma que as vendas estão boas o ano todo
Crédito: JORNAL DE JUNDIAI

A alta procura por livros infantis, em especial de ficção e alfabetização, tem sido o destaque em livrarias e sebos de Jundiaí. A proximidade do Dia das Crianças pode alavancar ainda mais as vendas do setor.

Para Julio Cesar Rosa Celedon, proprietário de um sebo no Centro, os livros tiveram boa procura ao longo do ano e a pandemia trouxe um novo perfil de público. "Os livros de alfabetização tomaram o lugar dos livros infantis. As crianças estão dentro de casa e os pais estão com dificuldades em alfabetizar, então acabam optando por essas cartilhas e materiais", explica.

De acordo com Celedon, a mudança de perfil começou no final de 2020. São crianças menores de oito anos, que estavam em processo de alfabetização e tiveram que interromper os estudos. "Muitos pais têm o hábito de trazer as crianças para trocar os livros que estão em casa e isso virou uma tradição. Vejo os mesmos rostos ao longo do ano", pontua.

Segundo Celedon, as vendas de livros para alfabetização representam em torno de 30% das vendas totais. "O pico de procura é no começo do ano, durante o volta às aulas. Eles saem a partir de R$ 3, podendo chegar até a faixa de R$ 90, quando o livro possui um aparelho sonora junto. Como trabalho com as principais editoras de livros infantis, estamos sempre renovando nossos estoques com as novidades lançadas e, por isso, não vamos fazer nada especial para o Dia das Crianças."

O comerciante ainda dá uma dica para quem está em dúvida sobre o que comprar para a data. "Um bom livro infantil para os jovens, tem sido o do Lego, que vem com um brinquedo junto e as histórias são em quadrinhos, por R$ 24,90", afirma.

De acordo com Andreia de Cássia da Silva Machado, balconista de uma livraria no Centro, os clientes devem comprar livros para o Dia das Crianças mais próximo à data. "As vendas de livros infantis são boas o ano todo, as crianças continuam gostando de ler sim."

Andreia afirma que o Dia das Crianças costuma ser uma boa época para as vendas. "Quando o livro é para presente, costumam sair mais os clássicos e vão de acordo com os gostos de cada um, mas quando os pais vêm juntos para comprar, eles ficam mais preocupados com o conteúdo para incentivar a leitura, mas também tem que ter um equilíbrio com as gravuras", conta.

Segundo ela, crianças na faixa de 10 anos procuram livros divertidos como o 'Diário de um Banana' e o 'Diário de uma garota nada popular', que misturam uma linguagem informal com desenhos no estilo de quadrinhos e custam a partir de R$ 30. "Já para as crianças na faixa de 12 a 14 anos, os livros de romance e ficção são os carros-chefes, também a partir de R$ 30", completa.

A livraria de Andreia planeja algumas novidades para o Dia das Crianças, aumentando as opções de livros com preços especiais.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: