Jundiaí

Com vinda de empresas, 2 mil vagas geradas em Jundiaí

OPORTUNIDADE Entre empregos diretos e indiretos, novos empreendimentos implementarão a oferta


JORNAL DE JUNDIAÍ
Juliana Lima procura trabalho em qualquer área desde março de 2020
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

Com a vinda de novos empreendimentos a Jundiaí, a Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (UGDECT) informa que 2,2 mil empregos diretos e indiretos vêm sendo gerados. Algumas empresas já estão recrutando e outras farão seleção em breve.

Restaurantes, atacadistas e operadoras logísticas são alguns dos empreendimentos que já abriram 1,75 mil vagas para diferentes áreas. Jundiaí ainda receberá em breve uma rede de atacadista com instalação prevista para a Ponte São João. A rede deve gerar mais 300 empregos diretos e 200 indiretos.

Anúncios que animam quem está na fila do emprego há muito tempo. Este é o caso de Antonio Carlos Louzano, que procura emprego na área de segurança. Recentemente ele fez um curso no setor e espera uma colocação. "Estou empregado, mas procuro vaga de segurança. Está difícil para esta área, falam que foi uma área pouco afetada pela pandemia, e foi mesmo, mas não está fácil."

Ele diz que o que faz a procura difícil é a concorrência. "Tem mais gente procurando emprego agora. Creio que abrindo mais vagas, pode melhorar. Acho que até o fim do ano eu consigo emprego de segurança, estou mandando muitos e-mails para vagas da área."

Já Juliana Lima está desempregada desde março de 2020 e procura emprego em qualquer área. "Deu uma melhorada agora. Toda semana estou fazendo duas entrevistas. Não quer dizer que vá ser contratada, mas dá esperança."

Ela diz que agora, ao passo que haja mais vagas, também há mais pessoas procurando trabalho. "Tenho esperança de conseguir emprego antes do fim do ano, ou até antes. Se estão vindo mais empresas para Jundiaí, que não só eu, mas outras pessoas que estão desempregadas consigam emprego. Vejo muito mais gente procurando trabalho agora. Acho que por causa da pandemia, as pessoas não estavam saindo tanto, mas agora tem mais vaga e mais concorrência."

MERCADO

Supervisora de recrutamento e seleção da agência Nova RH, Carla Moraes, diz que houve aumento na oferta de vagas para a Indústria, foco da agência, inclusive para as novas que chegam na cidade, mas a procura também subiu. "Podemos considerar um aumento de 30% no segundo semestre. Hoje a procura é maior pela troca de emprego, seja por salário, localização ou mesmo por mudança de função."

Em Jundiaí, há 1.574 postos de trabalho ofertados pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), tanto presencial quanto on-line. Há vagas para garçom, oficial de manutenção civil, representante comercial, mecânico, operador de empilhadeira, supervisor de segurança, cozinheiro, líder de limpeza, entre outras. A empresa Total Express, por exemplo, está oferecendo 400 vagas para auxiliar de operações.

RECUPERAÇÃO

Atualmente, o Brasil tem queda no desemprego, que chegou a atingir níveis históricos no início deste ano. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o desemprego no Brasil foi de 15,1% em março para 13,7% em junho, último mês do trimestre móvel iniciado em abril. Os números foram divulgados ontem (27) e levaram em conta o desempenho recente do mercado de trabalho, com base na desagregação dos trimestres móveis da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e informações do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

A pesquisa do Ipea mostrou ainda que o crescimento recente das contratações tem ocorrido principalmente em setores que empregam relativamente mais mão de obra informal. Entre eles, estão o da construção, que registrou alta anual da população ocupada em 19,6%, a agricultura (11,8%) e os serviços domésticos (9%).

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: