Jundiaí

Vendas de fogões elétricos e a lenha têm aumento de até 40%

ALTERNATIVAS Com o aumento no preço médio do botijão de gás para R$ 93,65, além de reajustes, consumidores buscam soluções para substituir o fogão a gás


              ALEXANDRE MARTINS
Édio Jacon afirma que as vendas dos fogões elétricos cresceram este ano
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Com o reajuste de 7% no valor do gás de cozinha aplicado aos consumidores brasileiros desde o dia 1 de setembro e o preço médio do botijão de gás passando de R$ 87,85 para R$ 93,65, a procura por alternativas teve crescimento de até 40% em lojas especializadas.

Fogões elétricos, a lenha e churrasqueiras são algumas das opções para a economia, mas é preciso também fazer as contas. De acordo com o proprietário de uma loja especializada em fogões no Centro, Édio Jacon, os elétricos têm atraído o interesse das pessoas e, só neste ano, as vendas aumentaram 20% em relação ao ano anterior. "A procura aumentou bastante em relação ao ano passado, clientes têm optado pelos fogões elétricos para evitar os gastos com botijão de gás", afirma Jacon.

Em sua loja os preços variam de R$ 70 a R$ 150, dependendo da marca e tamanho do equipamento.

O aumento no preço médio do botijão de gás foi de R$ 5,80. Além de outros R$ 0,30 devido ao reajuste do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que passou a incidir desde o mês de agosto em alguns estados brasileiros

FOGÃO A LENHA

Outra alternativa para economizar o gás de cozinha é a lenha. Muito utilizado por por famílias tradicionais do interior ou por restaurantes caseiros, o fogão a lenha se torna alternativa para muita gente.

Segundo o proprietário de uma loja de churrasqueiras e fogões no Vianelo, Fábio Gavitti, o fogão a lenha remete a lembranças afetivas e uma maneira especial de preparar os alimentos, além de ser uma forma de lazer mais trabalhoso e que demanda mais atenção. "O fogão a lenha é um sistema tradicional e queridinho no país, muitos restaurantes e famílias optam pelo seu uso", afirma Gavitti.

Apesar do fogão a gás ainda ser o mais procurado em sua loja, o vendedor afirma que houve um aumento de aproximadamente 40% na procura desta alternativa nos últimos meses.

Para Gavitti, o sistema a gás ainda é o mais vendido pela praticidade e facilidade no uso, além de ser um equipamento que a maioria das pessoas sabem manusear, diferente do fogão à lenha. "A dificuldade maior é encontrar lenha com preços acessíveis e a forma construtiva que geralmente demanda uma reforma na cozinha ou no espaço que será colocado, além de ter uma tubulação para escoamento de fumaça", explica.

CHURRASQUEIRAS

Para o proprietário de uma loja de churrasqueiras na avenida 14 de Dezembro, Jorge Marques, a venda das churrasqueiras a carvão e elétrica vem numa crescente desde o começo do ano. "Ainda não é possível medir, em números, o aumento em relação ao ano passado, mas posso afirmar que a churrasqueira está se tornando indispensável para os brasileiros", afirma Marques.

Apesar do crescimento nos setores de churrasqueiras, fogões elétricos e a lenha, a substituição do fogão tradicional não é tão certeira. "Mesmo economizando com o gás de cozinha, os gastos com energia e com as lenhas acabam deixando toda a economia de lado", reforça Marques.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: