Jundiaí

Venda nos pet shops tem aumento de até 30% na pandemia

Comerciantes destacam alta na procura por medicamentos, ração e serviços veterinários


                                   ALEXANDRE MARTINS
Para o proprietário, Guilherme Feliu, vendas aumentaram há três meses
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Durante a pandemia, as vendas dos produtos para pets superaram o setor de linha branca, composto por fogões, geladeiras, freezers e máquinas de lavar. Em Jundiaí, comerciantes do setor relatam aumento de 30% em comparação ao ano passado com medicamentos, ração e serviços veterinários se destacando.

Segundo o Instituto Pet Brasil (IPB), que acompanha os setores de criação, produtos e serviços para pets, o faturamento total do mercado previsto para este ano é de R$ 46,5 bilhões sem descontar a inflação, uma alta nominal de 14% em relação a 2020, quando o setor faturou R$ 40,8 bilhões.

Para o proprietário de um pet shop localizado na avenida Nove de Julho, Guilherme Borges Feliu, de três meses para cá as vendas aumentaram consideravelmente. "Tem sido uma das melhores épocas para a nossa loja. Tivemos uma queda no começo do ano, mas estamos conseguindo recuperar o faturamento", afirma Feliu.

EXPECTATIVA ALTA

A perspectiva é de melhora para o final do ano. O proprietário afirma que já se prepara para o aumento do movimento nos próximos meses. "A loja mudou de endereço e precisei contratar novos funcionários, o clima é de otimismo para o crescimento das vendas continuar", completa.

A maior procura tem sido pelos medicamentos e pacotes de ração. O proprietário afirma que o aumento da procura está relacionado à pandemia, onde muitas pessoas começaram a dar mais atenção aos seus animais de estimação. "O isolamento fez com que os donos se aproximassem mais dos seus pets e tivessem um cuidado maior com eles", acredita.

PESQUISA

De acordo com o Instituto Pet Brasil, os segmentos que mais crescem neste setor são a venda de ração, representando 52,9%, seguido por vendas de animais (11,4%), produtos veterinários (11,4%), serviços gerais e veterinários (9,3%) e produtos de higiene e bem-estar (5,7%).

Para o gerente de um pet shop no bairro Jardim Brasil, Juan Igor Bellai, alimentação, produtos de higiene e brinquedos são os itens mais procurados da loja, além dos serviços. "Nas épocas mais quentes do ano, a procura pelos serviços de banho e tosa disparam", afirma Bellai.

O pet shop foi aberto em maio deste ano e o gerente afirma que o movimento está ótimo e relaciona a grande procura pelos serviços à pandemia. "Sem dúvidas o aumento tem sim sido influenciado pela pandemia. Desde que inauguramos a loja já percebemos o fluxo aumentando ao passar dos meses", diz Juan Igor.

Outro fator que influencia o crescimento do setor é a inovação ao longo dos anos. "O mercado não para de inovar com produtos visando cada vez mais a qualidade de vida de nossos companheiros de quatro patas", afirma o gerente.

(Luana Nascimbene)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: