Jundiaí

Lo-fi hip hop conquista millenials

Com batidas cadenciadas e som que transmite leveza, o estilo musical "lo-fi hip hop" entrou para a lista de favoritos da geração da internet


ARQUIVO PESSOAL
Matheus Barros conta que lo-fi é terapêutico e auxiliou nos estudos
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Com batidas cadenciadas e som que transmite leveza, o estilo musical "lo-fi hip hop" entrou para a lista de favoritos da geração da internet, os millenials. Jovens costumam ouvir lo-fi para relaxar e até mesmo se concentrar para os estudos de provas importantes.

Lo-fi significa low fidelity (baixa fidelidade, em inglês), e é associado a gravações musicais com baixa qualidade. Nos anos 80 a expressão ficou muito popular no hip-hop, e atualmente, os produtores se inspiram nesse som antigo que traz nostalgia e leveza, a fim de criar uma atmosfera sonora que é relaxante para quem escuta.

Por ser um som livre de vocais, o lo-fi tem sido utilizado pelos millenials como som de fundo para ajudar a manter o foco.

O piloto comercial Matheus Barros Cardoso, de 25 anos, conta que escutar lo-fi foi essencial para estudar para as provas de aviação civil. "Ouço lo-fi desde 2015 e é ótimo para estudar. O mais marcante pra mim foi quando eu precisei fazer uma das provas teóricas de aviação mais difíceis, e somente o lo-fi me ajudou a concentrar. Esse estilo musical foi essencial para tirar a carteira de helicóptero em 2017", relata.

Cássio Henrique Fernandes, de 19 anos, é auxiliar administrativo e conheceu o lo-fi em 2017, quando o estilo musical viralizou na internet. "No começo foi uma experiência estranha, pois é um som bem nostálgico e melancólico, diferente do que eu estava acostumado, mas atualmente escuto todos os dias para relaxar", conta.

SOM AMBIENTE

O lo-fi também pode ser definido como um "white noise", em tradução livre do inglês ruído branco, que se refere a sons cujo as frequências contêm a mesma potência, como o som da TV ou do ar-condicionado ligados. Esse tipo de melodia com ruído branco é ideal para disfarçar ou abafar outros barulhos do ambiente.

Por esse motivo, Matheus Barros ouve lo-fi em diversas ocasiões, não só para estudar. "É o melhor som para escutar dirigindo, porque além de ajudar na concentração não atrapalha a conversa com outras pessoas no carro, porque as músicas não têm letra. Além disso, também é muito relaxante", explica.

O piloto comercial também diz que define o som como terapêutico. "Me relaxa muito, ajuda a concentrar, pensar positivo e traz sensações boas. É quase terapêutico pra mim, me ajuda a refletir", completa.

Cássio Fernandes também utiliza o lo-fi como som de fundo para realizar outras atividades. "Ouço bastante quando vou jogar on-line e quando estou sem nada pra fazer, porque tem momentos que a única coisa que me agrada é escutar lo-fi, virou costume. Não ter a obrigação de prestar atenção na música que está tocando de fundo é a melhor parte", afirma.

NOSTALGIA

O auxiliar administrativo conta que alguns sons lembram a infância. "Gosto bastante do artista Bansh, que faz produções nostálgicas, me lembra minha infância. Além disso, também gosto de lo-fi com tom macabro, muito legal para ouvir agora em outubro no Halloween", conta.

Para descobrir músicas novas, tanto Matheus Barros quanto Cássio Fernandes buscam pela rádio lo-fi, que tem 9 milhões de inscritos e fica 24 horas ao vivo no Youtube. Foi assim que o estilo viralizou, com a "lo-fi girl", a ilustração da menina estudando, que é a capa dos vídeos de lo-fi hip hop Youtube.

Além da rádio ao vivo, Cássio Fernandes também recomenda outra plataforma para conhecer o estilo. "No Spotify tem a playlist Lo-fi Beats, que tem 650 músicas e está sempre sendo atualizada", recomenda.

REMIX

Também é comum que os produtores de lo-fi façam remix de músicas de outros artistas. No Youtube é possível encontrar remix de músicas clássicas nacionais com a batida do lo-fi hip hop, e essa mistura de estilos também consegue alcançar o objetivo, que é relaxar quem escuta.

Matheus Barros acha muito boa a iniciativa dos produtores de remixar os sons e trazer esse estilo para as músicas brasileiras. "Esses remix são legais porque traz para a nossa realidade um estilo que não é originário do Brasil", afirma.

"Além disso, aumenta a possibilidade de outras pessoas conhecerem o som. É legal que as pessoas possam apreciar uma música nacional que gostam muito em uma perspectiva mais calma e relaxante", completa.

(Caroline Adrielli)

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: