Jundiaí

Produtores rurais retiram cavaco para enriquecer o solo de plantações


Divulgação
Cada produtor rural pode retirar até 25 m3 do material sem custo financeiro
Crédito: Divulgação

Garantir mais umidade e enriquecimento orgânico ao solo é o que o cavaco, material resultante da trituração dos restos de podas de árvores da cidade, oferece para as produções rurais e que é ofertado gratuitamente para os agricultores de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT), em parceria com a Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP).

Paulo Sérgio de Castro é produtor de frutas e legumes e, na manhã desta quinta-feira (07), fez a primeira retirada de cavaco no Geresol. “Esse material é muito importante porque ajuda na incorporação do solo, a manter a umidade, principalmente neste período de estiagem. Por ser um material orgânico muito rico, é um adubo natural, que enriquece o solo. Estou com plantação de uva e as quadras que recebem a cobertura com cavaco, resultam em plantas com mais vigor e frutas com cachos maiores”, declara o produtor rural.

O material não tem custo para o produtor. “Ele precisa apenas arcar com o custo do transporte. No caso do Paulo, a retirada do cavaco foi realizada com transporte próprio. Alguns produtores fazem a opção de contratação de frete, fica a cargo de cada agricultor”, explica a diretora de Agronegócio, Isabel Harder.

Os interessados em receber o insumo podem entrar em contato com a UGAAT pelos telefones 4589-8581/8872. “Cada produtor tem direito a retirar uma viagem de caminhão, que pode chegar até 25 m3 do material, dependendo do tamanho do transporte. A doação é realizada conforme a disponibilidade do material no Geresol”, afirma o gestor da UGAAT, Eduardo Alvarez.

“Após a poda, o material é encaminhado para o Geresol, onde é triturado. Essa parceira com a UGGAT é excelente para a administração, que destina o material evitando riscos de incêndio e para o produtor que utiliza em suas lavouras um produto rico em matéria orgânica”, conclui o diretor de Limpeza Pública da UGISP, Márcio Moraes.

 


Notícias relevantes: