Jundiaí

Cupcakes artesanais para animar o 'dia das bruxas'

HALLOWEEN A festa estadunidense, ainda incipiente no Brasil, não tem muita travessura, mas com certeza tem gostosuras


ARQUIVO PESSOAL
Andréa Zamora faz cupcakes temáticos e doces artesanais desde 2011
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

O Dia das Bruxas é marcado pelo terror, pelas travessuras e pelos doces, em especial os preparados em casa. A produção artesanal ganha destaque e a temática ajuda as confeiteiras a soltarem a imaginação.

Andréa Zamora é socorrista, mas durante a pandemia acabou optando pela confeitaria como fonte de renda, apesar de fazer doces em casa há 10 anos. Ela produz receitas familiares, como strudel e brigadeiros, e as mais novas, de cupcake e cookies. Como sempre comemorou o Halloween, os doces temáticos são parte da produção nesta época.

"O tema é um prato cheio para a confeitaria artesanal. Eu sou campineira e, no bairro em que eu cresci, tinha a cultura do Halloween. Depois casei, tive filhas e fazia em casa para elas, os doces e a festa. Acabei trazendo essa tradição para o meu condomínio. Eu enfeitava a minha casa e as pessoas gostavam", diz ela sobre a data das gostosuras.

Andréa diz que o halloween irá representar boa parte das vendas do mês. "No meu condomínio coloquei anúncio esta semana falando que aceitaria encomendas até o dia 25, mas acho que até domingo eu vou precisar parar de aceitar para dar conta. Faço tudo sozinha, então não adianta pegar encomenda de 500 e não conseguir fazer. Sempre tive procura de Halloween, ano passado foi bem menor, mas neste ano percebo que vai ter mais festa", diz ela sobre os cupcakes que são vendidos a R$ 10 a unidade e R$ 8 a unidade em compras acima de 10 unidades.

AÇÚCAR

Outra pessoa que adoça o Halloween em Jundiaí é a confeiteira Cristina Laposy. Desde 2011 ela produz cupcakes, suspiros, pães de mel e biscoitos decorados e já começou a preparar os itens temáticos para a data. "Tem muita gente que faz festas temáticas e encomenda os cupcakes para dar de lembrança. Acredito que essa prática está crescendo", diz ela sobre as comemorações na data.

Cristina conta que os doces artesanais têm procura, mesmo na pandemia, por serem melhores para pequenas comemorações. "As festas foram reduzidas a pequenas comemorações, mais familiares. Eu trabalho com encomendas e no Natal do ano passado foi muito bom, também vendi bem no Dia das Mães e Namorados. As pessoas procuram mimos, então a confeitaria artesanal tem que estar antenada para oferecer algo gostoso e bonito. O produto artesanal é feito na quantidade que a pessoa precisa, não é em grandes quantidades, então para uma festa de família com quatro pessoas, por exemplo, você adequa."

SIGA NAS REDES

Cristina Laposy:

@doce_maria

Andréa Zamora:

@_dulzurasdezamora_

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: