Jundiaí

Abordagem Social inspira-se em sistema da Guarda Municipal para implantação de central de atendimento

Representantes estiveram na sede da Guarda Municipal de Jundiaí (GMJ), onde foram recebidos no Centro de Operações Táticas (COT) 153.


DIVULGAÇÃO
Proposta da visita foi de conhecer a estrutura para a implantação do novo formato do serviço
Crédito: DIVULGAÇÃO

Representantes da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS) e da Organização da Sociedade Civil (OSC) Serviço de Obras Sociais (SOS) estiveram na sede da Guarda Municipal de Jundiaí (GMJ), onde foram recebidos no Centro de Operações Táticas (COT) 153.

A proposta da visita foi de conhecer a estrutura do sistema 153 de Emergência da GMJ para implantação de nova central 24 horas de atendimento do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), que é operado pela Prefeitura por meio da OSC para o atendimento à população em situação de rua do Município. Atualmente, o serviço é feito até as 22h. Depois desse horário, o atendimento é feito pelo 153 da GMJ.

Renata Mangieri, assessora de políticas governamentais do Departamento de Proteção Social Especial da UGADS, ressaltou que esta é mais uma ação de integração com a Unidade de Gestão de Segurança Municipal (UGSM) para o atendimento. Explicou também que a visita teve como objetivo entender o funcionamento da central. “Desta forma, teremos a oferta de atendimento mais eficaz e ágil para pessoas em situação de vulnerabilidade social e em denúncias de trabalho infantil”.

Com aproximadamente cinco mil atendimentos realizados através do canal 153 da GMJ neste primeiro semestre, o subinspetor Cláudio da Matta apresentou os procedimentos de inclusão das chamadas no sistema do COT. “Para que se tenha qualidade e registro de atendimentos 24 horas, se faz necessário ter um sistema ou software que abrigue as informações a todo instante”, comentou.

De acordo com o gerente do SOS, Nilson Roberto Begiato, a adaptação para que os atendimentos sejam feitos nos moldes dos 153 da GM já está sendo estudado para a implantação. “Temos voluntários da área da Tecnologia da Informação que estão cuidando de todos os detalhes para que tenhamos essa central de atendimento 24 horas para receber chamadas de ajuda às pessoas em situação de rua”, destacou.

A nova central deverá ser instalada na sede da OSC, que fica no Anhangabaú. Também participou da visita a coordenadora do SEAS, Edinéia Carneiro.


Notícias relevantes: