Jundiaí

Procura por creches no AUJ aumenta neste ano

EDUCAÇÃO Em Jundiaí, em um período de três anos, aumentou em 2,7% o número de matrículas


                   ALEXANDRE MARTINS
Laura Novo não mandou Caetano para a creche, pois teve o Antonio recentemente
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Depois de um período de baixa nas matrículas em creches municipais da Região, este ano voltou a ter procura mais alta. Em Jundiaí, assim como no Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), o aumento tem sido gradual a cada ano. Segundo a Unidade de Gestão de Educação (UGE), neste ano foram feitas 7.720 matrículas em creches municipais, contra 7.628 no ano passado.

Em 2019, foram 7.608 e, em 2018, foram 7.512 matrículas. O aumento de 2018 para 2021 foi gradual, mas diretamente é de 2,7%. O número contraria inclusive a tendência nacional, de queda nas matrículas. No entanto, há pais que ainda tenham certo receio de enviar os filhos à creche.

Há expectativa, por parte da UGE, para que a procura por vagas aumente para o próximo ano e, no momento, a unidade planeja a ampliação da oferta de vagas.

A professora e jornalista Laura Fontana Novo, mãe do Caetano, de dois anos e meio, e do Antonio, de dois meses, colocou o filho mais velho na lista de espera para creche em Jundiaí, mas ainda aguarda o melhor momento. "Eu queria avaliar o melhor momento para que ele fosse para a creche. Durante a pandemia, trabalhei em home office e meu companheiro também, e pude contar com uma rede de apoio, tinha meus pais, caso necessário. Ainda assim, acredito que seguraríamos mais um pouco o envio dele para a creche, teríamos medo de mandar por conta da pandemia."

Ela fez a pré-matrícula do Caetano há algum tempo, mas ainda não sabe quando o chamarão. Com o recém-nascido, acredita ser um risco. "A doença também pode ser perigosa para crianças. Já estava na hora dele começar a ir para a escola, mas segurei, principalmente pela pandemia e por ter o meu filho mais novo. A gente vai acompanhando os números da pandemia, das internações, mas temos a opção de não mandá-lo ainda. Tivemos covid em janeiro, eu estava grávida e foi assintomático, mas não muda a nossa preocupação de pegar de novo", diz ela, considerando, porém, a possibilidade de enviá-lo à creche com a melhora dos índices da pandemia.

Líder de vendas, Mileide Beloti Reis é mãe de Mirela, de dois anos e seis meses, e fala que chegou a inscrever a filha para a creche e esperou algum tempo, mas desistiu depois. "Por conta da pandemia, desisti, não coloquei ela na creche. Estava tentando vaga há um ano e meio, mas depois não procurei mais, não sei como está para vaga. Trabalho em casa, então ela fica comigo. Acredito que no ano que vem eu possa pensar em creche de novo."

Tanto Jundiaí quanto o Brasil estão distantes da meta do Plano Nacional de Educação (PNE), que almeja metade das crianças de zero a três anos frequentando creches até 2024. No Brasil, 31% das crianças estavam matriculadas em creches em 2020. Em 2019, eram 32%. Em Jundiaí, segundo a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), há 18.656 crianças de zero a três anos. Destas, cerca de 40% estão matriculados em creches.

As inscrições para creches em Jundiaí podem ser feitas entre os dias 1º e 10 de cada mês, com exceção dos meses de janeiro e julho. A inscrição ocorre no site ou aplicativo da Prefeitura de Jundiaí. A cada dois meses é publicada na Imprensa Oficial a lista de espera por creche.

REGIÃO

Na Região há o mesmo movimento de aumento na procura. Em Campo Limpo Paulista foram 1.315 matrículas neste ano; 1.171 em 2020; 1.020 em 2019; e 1.145 em 2018. Para 2022, a expectativa é de que o aumento continue. Para atendê-lo, a prefeitura pretende ampliar duas creches e construir uma nova unidade.

Em Itupeva, este ano teve 1.545 matrículas em creches municipais até o momento. Foram 1.465 em 2020, 1.291 em 2019 e 1.285 em 2018. A prefeitura do município também espera procura maior para 2022 e informa que está finalizando a construção de uma nova unidade com previsão de entrega em dezembro de 2021, além de implantar um sistema de convênio com entidades privadas para a aquisição de novas vagas emergenciais por meio de contrato.

Já Várzea Paulista informou, por meio da Unidade Gestora de Educação, que atualmente o município possui 1.350 crianças matriculadas nas creches e que, devido à pandemia e à quarentena, no ano de 2020 a procura por vagas em creche foi 70% menor em relação aos anos anteriores. Neste ano, a procura por vagas aumentou, mas ainda não atingiu os patamares de antes da pandemia.

As prefeituras de Cabreúva, Jarinu e Louveira foram procuradas, mas não responderam até o fechamento desta edição.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: