Jundiaí

Setor de eventos registra 90% de crescimento

RETOMADA Segundo a Associação Brasileira de Eventos, quatro em cada cinco eventos foram adiados


ARQUIVO PESSOAL
Isabella Machado diz que a procura pelos seus serviços aumentou 90%
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Após a suspensão de grandes eventos como casamentos, formaturas e bodas no ano passado, profissionais do setor retomaram às atividades com aumento de 90% na procura pelos serviços, seguindo os protocolos sanitários. Em Jundiaí, cerca de 34 bufês registrados estão liberados para a retomada das atividades, além dos profissionais de fotografia e cerimonialistas.

De acordo com a Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta), o setor fechou o ano passado com queda de 98% no faturamento. Cerca de 4 em cada 5 celebrações foram adiadas.

A funcionária de um bufê em Várzea Paulista, Sandra Scarpin, afirma que 95% das procuras deste ano foram pelos casamentos. "O salão está com casamentos agendados para todos os finais de semana até 2023. A procura pelos serviços está voltando bem forte", afirma a funcionária.

Segundo ela, a maior parte dos casamentos deste ano se refere a reagendamentos das cerimônias que foram adiados por conta da pandemia.

Com os eventos adiados, os profissionais ficam com a agenda futura comprometida e têm dificuldade para encaixar novos clientes. "As remarcações representam 40% dos eventos do bufê, por isso estamos com poucas vagas para 2022, os novos agendamentos estão sendo alocados para 2023", diz Sandra.

PARALISAÇÃO

De acordo com a funcionária do bufê, com o decreto do Plano SP que proibia a realização de grandes eventos, o salão ficou fechado. "Aproveitamos a paralisação das atividades para investir em melhorias para o nosso salão e a construção de novos cômodos no bufê para atrair um público maior na retomada", diz.

Para se recuperar dos prejuízos, as sócias de uma empresa de cerimonial, Márcia Rossi e Lívia Rossi, afirmam que houve um aumento nos preços deste segmento. "Os valores tiveram um acréscimo bem significativo em todos os segmentos e principalmente na área de eventos, após mais de um ano parados", explica Márcia.

A empresa não realizou nenhum evento no ano anterior por conta dos decretos impostos pelo governo durante a pandemia e diz que o ritmo da retomada ainda está um pouco lento. "A procura ainda não retomou da forma que era antes e está voltando aos poucos, nossas agendas estão cheias até 2022, mas a maioria dos contratos é de cerimônias de casamentos adiados que foram remarcados nesta época", afirma a sócia.

Além disso, as sócias estimam um aumento na procura pelos serviços até o final do ano. "As pessoas vão se sentindo mais seguras, assim acredito que até dezembro vamos agendar novos casamentos para os próximos anos" comenta Márcia Rossi.

ALTERNATIVAS

A fotógrafa Isabella Machado precisou buscar soluções para suprir a falta de grandes eventos para realizar seu trabalho. "Durante a paralisação dos eventos, priorizei os ensaios de famílias, gestantes, bebês e debutantes", diz a profissional.

Segundo ela, o aumento da procura pelos seus serviços de fotografia em casamentos aumentou 90% em relação ao ano passado. "Tenho casamentos marcados até o final deste ano, durante todos os finais de semana, além de agendamentos para 2022", afirma a fotógrafa.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: