Jundiaí

Vendas de papelaria melhoram, mas há expectativa para 2022


   ALEXANDRE MARTINS
Kaynara Mendes diz que materiais de papelaria têm tido procura
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Com as atividades escolares e econômicas voltando a ser presenciais, as papelarias projetam crescimento no setor, em especial com a venda de canetas, clipes e papeis. Para Élio Silva Souza, gerente de uma papelaria do Centro de Jundiaí, o aumento tem sido gradual.

"Tivemos pouquíssimo aumento nas vendas. A maioria da crianças já tinha material em casa então muitas apenas tiveram que repor alguma coisa. A procura por material de escritório foi um pouco menor neste ano, mas acreditamos que seja por causa da adoção do home office por muitas empresas."

Ele diz que as vendas voltam aos poucos, depois de chegar a cair cerca de 70%. "Na época que fechou tudo, caiu uns 70% se comparar com o período antes da pandemia. O que mais teve impacto mesmo foi o papel, hoje é tudo informatizado. Se uma empresa consumia cinco caixas há anos atrás, hoje compra só uma", diz ele sobre a tendência da digitalização.

RETOMADA

Gerente de uma outra papelaria no Centro, Kaynara Mendes, diz que este fim de ano tem certa retomada com expectativa para 2022. "De julho para cá teve um aumento considerável. Começou a ter lista de materiais, mesmo não sendo completa. Agosto e setembro foram bons. O começo do ano foi melhor, mas depois diminuiu bastante. Material de escritório também melhorou a venda. Acho que caneta, clips de papel, esses materiais pequenos que nos salvaram enquanto não tinha volta às aulas."

A tendência é que haja melhora para o próximo ano. "As escolas estão voltando presencial, então a tendência de 2022 é ser bem melhor. O que aparece de novidade a gente tenta buscar. Neste ano, a gente já fez pedidos menores que em 2020, mas esperamos que ano que vem seja melhor", explica a gerente.

(Nathália Sousa)


Notícias relevantes: