Jundiaí

Jundiaí registra aumento de 37% na abertura de empresas

RETOMADA Entre as atividades mais cadastradas estão os serviços digitais, promoção de vendas e treinamento gerencial


DIVULGAÇÃO
A multinacional Fagron, da Holanda, chegou em Jundiaí em agosto
Crédito: DIVULGAÇÃO

A pandemia do coronavírus não impediu que Jundiaí continuasse a crescer e se desenvolver economicamente. Dados da Unidade de Gestão de Governo e Finanças mostram que de 20 de março de 2020 a 13 de outubro de 2021 foram abertas 4.944 empresas na cidade. Na comparação com um período semelhante e anterior (de 20 de março 2018 a 13 de outubro de 2019), o aumento é de 37% (o cálculo não leva em conta a modalidade Microempreendedor Individual).

"A despeito de todos os problemas causados pela pandemia, Jundiaí continuou a crescer e se desenvolver, o que prova nossa vocação para o empreendedorismo. Cada empresa instalada aqui tem de ser valorizada, porque representa mais oportunidades, negócios e empregos para nossa cidade", declara o prefeito Luiz Fernando Machado.

Quando se recorta o crescimento por área, o maior aumento proporcional é observado na indústria, com 67% a mais no período de 20 de março de 2020 a 13 de outubro de 2021, passando de 34 para 57. No Comércio e nos Serviços também houve aumento considerável no mesmo período: 44% e 35%, respectivamente.

Entre as atividades de empresas mais cadastradas em Jundiaí desde o início da pandemia estão os serviços digitais como "digitação", "promoção de vendas" e "instrução e treinamento gerencial".

O período representou oportunidades para empresas como a multinacional Fagron, distribuidora de origem holandesa que fornece produtos e serviços destinados à farmácia de manipulação. As operações na cidade começaram em agosto deste ano. "Tivemos algumas oportunidades na venda de produtos relacionados com a pandemia, como por exemplo, vitaminas, luvas e máscaras", conta o diretor da qualidade e assuntos regulatórios da Fagron, Flávio Morelli.

Segundo Morelli, no que se refere a serviços, a oportunidade foi de fortalecimento dos canais digitais, melhoria em nossa logística de distribuição, bem como de outros processos internos.

O diretor financeiro da Fagron, Fábio Souza, explica que em volume, a empresa está crescendo 6,3% no acumulado de setembro, na comparação com o mesmo período de 2020. "Jundiaí oferece alguns diferenciais como agilidade nas tratativas junto aos diversos órgãos municipais, uma região desenvolvida com recursos de infraestrutura (como acessos asfaltados, energia elétrica e rede de dados e voz) e oferta de mão de obra qualificada, notadamente na área de Logística."

MEI

No período de pandemia os Microempreendedores Individuais também cresceram em Jundiaí. Entre 20 de março de 2020 a 13 de outubro de 2021, na comparação com mesmo período entre 2018 e 2019, o aumento foi de 59%, de 3.496 para 5.567. Nessa modalidade, 'digitação' e 'promoção de vendas' também estão no topo das atividades mais registradas, ao lado de 'transporte municipal de cargas'.

Para o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, o poder público tem que desburocratizar os processos de abertura de empresas para acelerar a instalação de novos negócios na cidade. "Avançamos muito com a implantação do Balcão do Empreendedor digital na cidade, mas agora, estamos fazendo a integração com o Via Rápida do governo estadual, para integrar as análises dos Bombeiros e da Cetesb. Isso agiliza a vida do empreendedor. Estamos investindo no programa Jundiaí Empreendedora, para fomentar o ambiente econômico da cidade e atrair mais empresas e empregos."

O Jundiaí Empreendedora também tem seu próprio portal, uma plataforma para fomentar a geração de emprego e renda no município, incentivar o empreendedorismo, atrair mais investimentos para Jundiaí e aproximar a população, as empresas e o poder público. "Temos um espaço dedicado apenas para a divulgação de vagas de emprego, com uma rotatividade enorme e diária. Um grande desafio é justamente preencher todas essas vagas e qualificar cada vez mais o cidadão para o que as empresas precisam", observa o gestor de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Cristiano Lopes.


Notícias relevantes: