Jundiaí

Consultório na Rua atua em protocolo intersetorial de atendimento à população de rua no Município


DIVULGAÇÃO
Durante as ações, 60% declararam o uso de substâncias psicoativas
Crédito: DIVULGAÇÃO

Como parte do novo protocolo intersetorial para o atendimento da população em situação de rua, principalmente nas regiões Central e de bairros como a Ponte São João e Jardim São Camilo, a equipe do Consultório na Rua vem atuando na abordagem espontânea nos territórios, além do atendimento de chamados e atuação em cenas de uso de álcool e outras drogas. A proposta do novo protocolo é permitir que os diversos atores da rede possam articular o acesso dos usuários aos serviços oferecidos pelos Sistemas Únicos de Saúde (Sus) e de Assistência Social (Suas).

O Consultório na Rua está vinculado à Coordenação de Saúde Mental da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) e sua equipe é composta por enfermeiros, médicos (clínicos e psiquiatras), agente social de saúde e psicólogo.

Também atuam pelo protocolo intersetorial as equipes do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD III) e Unidades de Acolhimento, pela UGPS, e Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS) e Centro Pop, da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), além da Guarda Municipal de Jundiaí (GMJ) e da Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos (UGISP).

No período das ações do programa, através da aplicação de questionário e autodeclaração por parte dos abordados, 60% declararam o uso de substâncias psicoativas. Em geral, os atendidos apresentam também histórico de rompimento dos vínculos sociais, afetivos e familiares, e a minoria (somente 19%) afirmam ter vínculos com familiares do Município.

O coordenador da equipe, Ilson Santos, explica as frentes de atuação do programa. “Atuamos basicamente em cinco frentes, de situações de vulnerabilidades sociais, que são: a mediação de conflitos comunitários; atenção às mulheres; atuação junto a usuários de substâncias psicoativas; questões relacionadas à prevenção e diminuição de agravo de riscos sociais na adolescência; e atuação nas possibilidades de inclusão social e geração de renda, por meio da inclusão no mundo do trabalho”.

Ilson explica ainda que as equipes atuam no levantamento de dados sobre os territórios, incluindo também bairros como Jardim Fepasa, Sorocabana e Ivoturucaia, para a elaboração de diagnósticos e desenvolvimento de estratégias e cuidados nessas cinco frentes.

Sempre que alguém se deparar com pessoas em situação de rua ao longo do dia, a orientação é que sugira o encaminhamento para o Centro Pop. Já durante a noite, até as 22h, indica-se que seja feito contato com a equipe de abordagem social pelo telefone (11) 98531-0146. Após esse horário, o telefone indicado é o 153 da GMJ. Já em casos em que for identificada intoxicação ou ocorrências de risco à vida da pessoa em situação de vulnerabilidade, o SAMU poderá ser acionado pelo telefone 192.

 


Notícias relevantes: