Jundiaí

Região Metropolitana de Jundiaí é aprovada e trará novos investimentos


Divulgação
Jundiaí e outras seis cidades da região consolidam um bloco ainda mais forte, com mais poder de decisão
Crédito: Divulgação

Uma região que oferece infraestrutura viária, aeroportos, meio ambiente com legislações de proteção, política comum de sustentabilidade e qualidade de vida. Assim é a Região Metropolitana de Jundiaí (RMJ), que teve seu Projeto de Lei Complementar (36/2021) aprovado, na última terça-feira (9), na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Com a aprovação do projeto, as cidades de Jundiaí, Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Louveira, Jarinu e Várzea Paulista – somando cerca de 800 mil pessoas – passam a ter vantagens no desenvolvimento econômico regional e na aplicação de políticas públicas pensadas para todas as cidades, em áreas como Saúde, Habitação, Segurança, entre outras, e com mais autonomia em relação a outras regiões do Estado. A proposta seguirá para sanção do governador João Dória e passará a valer a partir da data de publicação no Diário Oficial do Estado.

O pleito vinha sendo defendido pelo prefeito Luiz Fernando Machado e se intensificou durante a pandemia, para que Jundiaí e os outros seis municípios tivessem mais autonomia na gestão da Saúde e fossem vistos de forma separada da Região Metropolitana de Campinas. “Nossa região é protagonista não apenas no Estado, mas em todo o Brasil”, destaca Luiz Fernando. “Essa aprovação na Assembleia mostra que o caminho está aberto para a consolidação de um bloco ainda mais forte, com mais poder de decisão, com condições para melhor gestão do financiamento da saúde, da educação, de infraestrutura, de saneamento, dos programas de estímulo ao emprego, à cultura, ao turismo, entre outras áreas. E essa conquista é um mérito de todas as sete cidades.”

O Projeto de Lei de autoria do Governo do Estado para a criação da RMJ destaca, entre outros pontos, o forte polo industrial da região como sua principal atividade econômica, além de um forte setor de logística de distribuição devido a sua localização, que permite fácil acesso às rodovias Anhanguera, Bandeirantes e Dom Pedro 1°, aos principais aeroportos do Estado e ao Porto de Santos.

Para o gestor de Governo e Finanças de Jundiaí, José Antonio Parimoschi, a RMJ possibilita inclusive a viabilização de mais investimentos externos, incluindo internacionais. “Se estamos pensando essas sete cidades de forma regional, uma vez que, em muitas casos, é difícil até enxergar suas divisas, estamos também falando de necessidades comuns e uma busca de investimentos comuns que possam impactar as mais diferentes áreas, como o transporte intermunicipal e a destinação e o tratamento dos resíduos sólidos, por exemplo”, explica o gestor.

O projeto para a formação da RMJ foi discutido regionalmente através de audiências públicas, com a possibilidade de participação da população, que pôde enviar suas sugestões. A criação da RMJ faz parte do projeto do Governo do Estado de reorganização do território estadual para a promoção de políticas públicas e facilitação da captação de recursos para investimentos.

No início de agosto, o governador João Dória participou de uma audiência pública em Jundiaí para a discussão da criação da RMJ, quando lembrou que, além de todos os benefícios para a atração de investimentos, a formação do bloco também ajuda a evitar o desperdício de dinheiro público e a melhor utilização de recursos naturais.


Notícias relevantes: