Jundiaí

Preço da uva terá aumento de até 40% em dezembro

PRODUÇÃO A niágara deve aparecer, em peso, nas prateleiras dos supermercados ainda nesta semana


ARQUIVO PESSOAL
Marcos Fonte Basso diz que a produção de uva aumentou 50% este ano
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

As produções de uva niágara, fortes em Jundiaí, já estão a todo vapor e devem ser colhidas em meados de dezembro. Produtores da região estimam aumento de até 40% no preço das caixas de cinco quilos, que devem variar de R$ 35 a R$ 50 neste ano.

A uva é uma das frutas mais consumidas durante as festas de final de ano. A niágara deve aparecer nas prateleiras dos supermercados ainda nesta semana.

De acordo com o produtor rural do Champirra, Marcos Antônio Fonte Basso, a produção de uva niágara cresceu 50% este ano em relação a 2020. "A produção de uva está aumentando a cada ano que passa e, felizmente, consegui dobrar os números do ano anterior. Enquanto em 2020 eu produzi 30 toneladas, o que representa cerca de 15 mil caixas vendidas, este ano a produção é de 60 toneladas (30 mil caixas)", afirma Fonte Basso.

PREÇO

Segundo o produtor, haverá reajuste de preço nas caixas de uva desencadeados pela escassez de embalagens e o custo da produção. "Com certeza os preços vão aumentar neste ano e não vai ter como segurar, o custo para a produção está caríssimo e as matérias-primas estão em falta, tudo isso contribui para o valor subir", explica Fonte Basso.

No ano passado, as vendas da caixa de uva de cinco quilos para o consumidor final, em sua propriedade, estavam saindo por R$ 25, enquanto as de 1,5 quilos custavam R$ 8. Este ano, com os reajustes, a caixa de cinco quilos terá preço médio de R$ 30 a R$ 35 e a menor sairá por R$ 10. "Todo o ano eu tento segurar ao máximo estes reajustes e fazer um preço muito inferior aos de barracas e mercados para o consumidor final".

A produtora e proprietária de uma barraca de frutas no Caxambu, Nilda Marquesin, quer manter o mesmo preço do ano passado para evitar perder clientes. Em sua barraca, o preço da caixa de cinco quilos gira em torno de R$ 35 a R$ 40. "Todo mundo sabe que a situação do país não é boa e todo mundo está passando por dificuldades financeiras, então não pretendo aumentar o preço para evitar perder clientes e não conseguir vender toda a minha produção", afirma Nilda.

A produtora rural é proprietária de um sítio com 25 mil pés de uva niágara que devem ser colhidas no começo de dezembro. "O clima deste ano é muito favorável para a colheita das uvas, já que elas se adaptam ao frio durante a época da florada e ao calor no período de colheita. Por isso, não houve atraso no processo e elas devem ser colhidas no dia 5 de dezembro e levadas à barraca para as vendas", diz.

ALTA PROCURA

Segundo a dona da barraca, os clientes já começaram a perguntar sobre as uvas e até reservar as caixas. "Muitos clientes já conhecem minha produção de uva e quando chega nesta época me pedem para separar as caixas para eles, a procura costuma aumentar conforme a proximidade do Natal e do Ano Novo".

Quem também está tendo muita procura pelas uvas é o produtor rural do Champirra, Jonatas de Oliveira, que irá começar a colher as frutas esta semana. "Vou começar a colher nesta quarta-feira e distribuir para alguns supermercados da região, além de vender para o consumidor final aqui na propriedade".

Oliveira afirma que a produção deste ano já superou a do ano passado e espera que as vendas também superem. "Este ano eu vou colher cerca de 70 toneladas de uvas, o que representa um bom número para a produção. Ano passado, por conta do clima ruim, a produção foi fraca e tive perda de 15 toneladas de uva, então a meta é vender bastante este ano para recuperar o que perdi", explica o produtor.

Oliveira distribui as uvas para várias regiões do país, como Rio de Janeiro e São Paulo, e também vende no seu sítio, onde os preços da caixa de cinco quilos variam de R$ 48 a R$ 50. No ano passado, o produto saía por R$ 40.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: