Jundiaí

Chuva intensa deixa moradores desalojados

DESLIZAMENTO O barro desceu de um terreno de empreendimento particular e atingiu as residências


                     ALEXANDRE MARTINS
Kátia Lima reside em um sobrado e recebeu um kit limpeza para auxiliar
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

A intensa chuva desta segunda (30) unida à quantidade de lama que desceu de um empreendimento particular causou estragos em várias casa na Vila Palma, próximo a Ponte São João, deixando moradores desalojados. Durante toda a madrugada eles tiveram que levantar os móveis por conta do volume de água e lama que invadiram as residências. Alguns tiveram que sair de suas casas. (veja abaixo os depoimentos).

Segundo o coronel João Osório Gimenez Germano, diretor da Defesa Civil de Jundiaí, a chuva foi de 33mm. Essa quantidade normalmente não tem potencial de causar estragos, mas o problema foi a lama. "As casas da região foram atingidas pela lama e seis delas foram vistoriadas desde a madrugada", explicou.

Todas as casas afetadas tiveram auxílio da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS). "As famílias receberam visita da UGADS e da empresa, que está fazendo a relação de afetados para reparar os danos causados nas residências. Além disso, a DAE Jundiaí foi acionada para desinfetar as casas", completa.

A construtora informa que uma equipe de apoio foi mobilizada para auxiliar na limpeza da região atingida pelo deslizamento. Além disso, a empresa também entrou em contato com as famílias afetadas e vai prestar os devidos reparos.

ASSISTÊNCIA

As ruas Carlos Gomes, Padre Antonio Toloi Stafuzza, José Linhares, Manoel Peixoto e Prof Ney Ribeiro Nogueira amanheceram tomadas de barro. A moradora Janaina Rodrigues Coraina, de 28 anos, perdeu tudo o que estava em sua residência e teve que se retirar do local.

Segundo Janaina, a construtora responsável pelo empreendimento está prestando assistência para sua família e arcando com todos os custos. "Estou ficando em um hotel até que a construtora consiga arrumar minha casa e repor todos os móveis que perdi. A previsão é que a casa fique pronta ainda está semana", conta.

O morador Vanderlei Coraine, de 83 anos, é avô e vizinho de Janaina. "Eu estava dormindo quando começou a chuva e escutei minha neta gritar. Quando me levantei da cama e pisei no chão percebi que o barro tinha invadido minha casa", relata.

Somente após o momento de desespero Coraine se deu conta de tudo que havia perdido. "Minha geladeira, meu fogão, meu armário e meu rádio foram todos embora. A situação é triste, além das roupas e outras coisas que perdi e nem cheguei a ver ainda", completa.

Segundo Kátia Lima, de 58 anos, que reside em um sobrado na rua Padre Antonio Toloi Stafuzza, o barro começou a invadir sua residência por volta de 23h30 de segunda-feira (29). "Minha casa é alta e o barro não estragou nada, só sujou. Eu mesma limpei tudo pela manhã, foi fornecido um kit limpeza com sabão em pó, água sanitária e detergente para auxiliar", conta.

Gilson Revito, de 59 anos, é marido de Kátia e foi quem acompanhou todo o processo de limpeza das ruas durante a madrugada. "A equipe chegou no local por volta de 2h para limpar a rua. Não tivemos danos em casa e a parte interna foi desinfetada com cloro pela DAE", afirma.

PROVIDÊNCIAS

Em reunião presidida pelo gestor da Unidade da Casa Civil, Gustavo Maryssael, em conjunto com o diretor da Defesa Civil foi alinhado um termo de ajuste de conduta com prazos que a empresa deve cumprir. Também estavam presentes representantes da Unidade Gestora do Meio Ambiente, Unidade de Serviços Públicos, DAE Jundiaí e a construtora.

Gimenez afirma que a equipe da Defesa Civil vai vistoriar na quarta-feira (1) o empreendimento para checar se as providências tomadas serão suficientes e sugerir novas medidas caso necessário.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: