Jundiaí

Jundiaí gera 917 vagas, com destaque para Serviços

OUTUBRO O índice representa 7.720 admissões e 6.803 desligamentos entre fixos e temporários


JORNAL DE JUNDIAÍ
Amanda dos Santos foi contratada em outubro em seu primeiro emprego
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

Das 917 vagas de emprego geradas em Jundiaí no mês de outubro, 622 representam o saldo registrado no setor de Serviços, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), seguido por Indústria (205), Comércio (82) e Construção (8).

O resultado decorreu de 7.720 admissões e 6.803 desligamentos, entre contratações fixas e temporárias. No acumulado do ano de 2021 (janeiro até outubro), foi registrado saldo de 9.916 empregos, sendo 76.692 admissões e 66.776 desligamentos.

O gerente de uma loja de calçados no Centro, Márcio Pereira Antunes, comenta que as admissões da loja neste final de ano foram realizadas para suprir as demandas de dezembro. "Desde o começo de novembro foram contratados seis funcionários, nas vagas de vendedor, para dar conta da demanda deste mês, principalmente no turno da noite", afirma Antunes.

As vagas que foram disponibilizadas são temporárias e com duração de 45 dias, com possibilidade de efetivação e priorizando funcionários com experiência na área de vendas. "Foi estipulado um prazo de 45 dias para que os novos funcionários ganhem experiência e se adaptem ao serviço.

De início as admissões são temporárias, mas há a possibilidade de se tornar um emprego fixo, tudo depende do desenvolvimento dos empregados", afirma o gerente.

Uma das recém-contratadas da loja foi a vendedora Carla Silvestre de Moraes, de 23 anos, que já tinha experiência na área e abraçou a nova oportunidade de emprego.

"Fui admitida no começo de novembro para trabalhar no turno da tarde e à noite. Eu já tive outras experiências como vendedora de loja e aceitei este novo emprego", afirma a nova funcionária.

Neste final de ano Carla está ocupando vaga temporária, mas espera ser efetivada e continuar nos próximos meses. "Estou torcendo para ser efetivada após este período de experiência e continuar trabalhando aqui".

Outra recém-contratada foi a nova vendedora de uma loja de roupas e lingerie do Centro, Amanda dos Santos, de 18 anos. Ela foi admitida junto com mais três vendedoras e encara o seu primeiro emprego. "Antes de conseguir este emprego eu fazia alguns freelancers como babá, mas decidi que já estava na hora de ter um emprego fixo, então saí entregando currículos para alguns estabelecimentos", afirma Amanda.

Segundo o gestor da Unidade de Gestão de Governo e Finanças (UGGF), José Antônio Parimoschi, desde o início do pandemia a gestão se preocupou em não parar a cidade e manter os empregos. "Trabalhamos em parceria com a iniciativa privada para desburocratizar os serviços públicos e agilizar a abertura de novos negócios e estamos usando a tecnologia para potencializar a geração de empregos", afirma Parimoschi.

SETOR INDUSTRIAL

Outra área que registrou crescimento nas contratações deste mês foi a Indústria, com 1.308 admissões e 1.103 desligamentos. De acordo com o diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Jundiaí, Marcelo Cereser, a diversidade econômica da região é a mola propulsora destes números e o motivo da manutenção na geração de empregos positiva de Jundiaí.

"Os números de contratação de Serviços e Comércio vêm tendo maior destaque nos últimos meses, pois foram os segmentos que mais sofreram com a pandemia e trabalham para esta retomada positiva", afirma Cereser.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: