Jundiaí

Acolhimento e retiros se tornam opções de descanso

MENTE E CORPO EM HARMONIA Retiros, pequenas viagens ou momentos ao ar livre ajudam a descansar


ARQUIVO PESSOAL
Padre Milton Vicente acredita que viagens e encontros despertam o sentimento de pertencimento e inclusão
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Mesmo com a aproximação das festas de final de ano e a programação para as férias, há quem prefira trocar os momentos festivos com reuniões íntimas ou apenas ocupar e cuidar da mente e do corpo.

Entre as programações mais exploradas e bem recebidas estão os retiros espirituais, pequenas viagens ou encontros feitos geralmente ao ar livre onde são realizadas atividades ministradas por algum gestor da comunidade ou convidado.

Algumas comunidades planejam viagens ou encontros em pontos específicos para quem procura destinar sua rotina de final de ano em uma destas programações. O Centro de Meditação Kadampa Brasil, localizado em Cabreúva, realiza entre os dias 28 de dezembro e 1 de janeiro, um retiro que reúne exercícios, palestras e meditações.

"Será realizado uma aula introdutória, atividades como ensinamentos sobre meditação e sessões de perguntas e respostas, além do contato direto e profundo com a natureza. A proposta é fazer com que cada uma das pessoas se desconecte do mundo externo e se conecte consigo mesmo. Através desse exercício, é possível caminhar em sentido da paz interior, intermediando os conflitos internos e abrindo espaço para refletir e repensar sobre nossas condutas no cotidiano e ao longo da vida", explica o Monge Gen Kelsang Drime, de 60 anos, organizador e palestrante.

RELIGIOSIDADE

O padre Milton Rogério Vicente, de 37 anos, diretor espiritual do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Desterro e porta-voz da Diocese de Jundiaí, afirma que viagens e encontros podem despertar nos participantes o sentimento de pertencimento e inclusão ao grupo durante as atividades propostas, principalmente após um ano atípico com esse no qual todos precisaram se isolar.

"Nós organizamos diversas atividades, entre práticas religiosas e recreativas. Celebramos missas, palestras, pregações, orações e sessões de confessionário com atendimento pessoal e particular. Já nas recreativas, entretemos os jovens com jogos e atividades esportivas, como futebol e o voleibol", afirma.

Segundo ele, a intenção dos retiros é, além da transmitir ensinamentos e condutas religiosas, é oferecer diversão e amadurecimento dos jovens, respeitando a liberdade e individualidade de cada um. "Normalmente nós escolhemos lugares como hotéis fazenda e chácaras, ambientes ao ar livre onde o jovem possa ter contanto com o meio ambiente. Por conta das medidas preventivas da pandemia, alguns retiros estão sendo realizados nos próprios salões e casas das paróquias', finaliza.

O pastor Emanuel Carlos, de 45 anos, descreve sobre a relevância e os impactos a longo prazo que eventos como os retiros espirituais podem proporcionar a quem dedica um tempo para relaxar e dar voz aos conflitos e angústias internos.

"É preciso olhar para dentro si, abraçar e domar os próprios medos, ao invés de fugir de todos eles. Este ano foi intenso, com altos e baixos, todos nós tivemos nossos sentimentos e vida prejudicados de alguma forma, seja alguém que perdeu um familiar, alguém que perdeu o emprego ou desenvolveu algum quadro de depressão ou ansiedade. Se unir e receber apoio da comunidade, onde cada um compartilhe com o grupo suas frustrações, expectativas e palavras de conforto é muito importante em momentos como este", relata.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: