Jundiaí

A poucos dias do Natal, uvas sofrem reajuste de 40%

VÉSPERA Apesar do aumento nos preços, cresce procura por frutas tradicionais para a ceia natalina


ARQUIVO PESSOAL
Eliana Gonçales recomenda adquirir as frutas típicas o quanto antes
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Mesmo com reajuste de 40% no valor da caixa de 5 quilos da uva Niagara, carro-chefe das festas de final de ano, comerciantes esperam um aumento de 50% nas vendas em comparação a semana passada. As barracas espalhadas pelas principais avenidas de Jundiaí mostram a força da safra.

A comerciante Ivonete Paes Bernardino, de 46 anos, vende uvas na avenida Antônio Pincinato há 5 anos e relata acréscimo de 40% no valor, mas acredita que haverá um aumento no fluxo de consumidores. "A caixa grande de 4 kg da uva Niagara custava R$ 25 no ano passado e hoje custa R$ 35. Uma opção mais barata é a caixa pequena, que custa R$ 20", afirma.

O produtor de uva Niagara Nelson Sgarbi, de 80 anos, também relatou acréscimo no valor. "Tenho produção própria e a caixa de 5kg custava R$ 30 reais, mas tenho certeza que o movimento irá aumentar ainda mais", diz.

Segundo Eliana Gonçales, de 37 anos, proprietária de um hortifruti localizado na Ponte São João, em Jundiaí, a fruta que mais sofreu reajuste foi o mamão. "A peça do mamão formosa teve reajuste de 100% no valor. Hoje a peça custa R$ 15", afirma.

Apesar do aumento no mamão, a cereja que também é uma das frutas mais procuradas no Natal teve redução de 30% no valor em comparação ao ano passado. "O melhor preço e mais estável é o da cereja, que é muito procurada para compor as receitas. Atualmente um pacote com 500g de cereja custa R$ 20, 30% a menos que no ano passado", completa.

Para deixar a ceia mais colorida, Eliana conta que um dos ingredientes mais procurados em seu hortifruti é o tomate tipo coquetel, com sabor adocicado e baixa acidez. "O tomate coquetel também está sendo muito procurado neste ano, acredito que seja para decorar e implementar alguns pratos comuns na ceia de Natal", relata.

VÉSPERA

A expectativa dos comerciantes é de aumento nas vendas no dia 23 e 24. "Nesse momento o pessoal está focado em comprar os presentes de Natal, então as frutas não estão sendo tão procuradas. Apesar disso, acredito que no dia 23 e 24 vamos ter um aumento de pelo menos 50% nas vendas, pois o costume é deixar para comprar as frutas de última hora", afirma Eliana.

O movimento razoável é a realidade de Ivonete, que também espera aumentar as vendas em 50% na véspera. "Por enquanto o movimento está baixo, mas costumamos vender mais que o dobro um ou dois dias antes do Natal. A esperança é de aumentar em 50% as vendas entre os dias 22, 23 e 24", relata.

RECOMENDAÇÃO

Para quem não dispensa a presença das frutas na ceia, a recomendação da comerciante Eliana é adiantar as compras para não correr o risco de ficar sem o produto.

"A melhor coisa a se fazer é se adiantar e já adquirir as frutas. Na última hora há o perigo de enfrentar aglomeração e não achar o produto, pois o movimento é grande. Comprando as frutas 3 dias antes do Natal e armazenando corretamente não há riscos de alteração no sabor nem na qualidade, não precisa deixar para comprar somente no dia 24", explica.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: