Jundiaí

Sem reajustes, venda de carnes suínas registra alta de até 20%


ARQUIVO PESSOAL
Francisco Bigotti diz que os destaques desta época são o pernil e o lombo
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Estimulado pelas confraternizações de final de ano, o consumo de carne suína disparou durante o mês de dezembro e deve continuar alto até o último dia de 2021, registrando aumento de até 20% nas vendas de peças de porco.

De acordo com o proprietário de um açougue na Ponte São João, Francisco Bigotti, o destaque das vendas nesta época são as opções mais acessíveis como o pernil, a paleta e o lombo. "A carne de porco é mais barata do que a bovina e o frango, então ela tem muita procura para as festas de fim de ano. As mais vendidas nesta época são a paleta, comprada a partir de R$ 22,50 o quilo, o pernil que sai por R$ 24,50 e o lombo que custa R$ 34,50, e todas as peças servem de três a quatro pessoas", afirma Bigotti.

CONSUMO ELEVADO

Com os preços do porco estabilizados e sem novos reajustes este ano, Bigotti acredita que o crescimento deve se manter até o último dia de 2021. "A previsão é de que aumente 15% até o último dia do ano em relação ao ano passado", diz.

Para a proprietária de um açougue especializado em carnes suínas no bairro Terra Nova, Marcela Pavan, o consumo de carnes de porco sempre dispara nesta época do ano, mesmo quando os consumidores optam por ceias mais simples. "Eu notei que este ano, como estamos passando por um momento mais crítico, os consumidores estão comprando em menor quantidade, mas não deixaram de consumir", afirma a proprietária.

Segundo Marcela, os alimentos mais procurados nesta época em seu estabelecimento são lombo, pernil, leitoa, joelho, panceta e costela.

O proprietário de um açougue localizado no Jardim Santa Teresa, Leandro Cassaro, diz que as vendas das carnes suínas também aumentaram em relação ao ano anterior. "Já tivemos um aumento de 20% nas carnes de porco, a maioria já adquiriu suas peças para as festas de ano novo, mas ainda dá tempo de aumentar este índice", afirma o proprietário.

CHURRASCO

Além das carnes suínas, o churrasco também marca presença nas ceias de ano novo. "O churrasco também é muito forte nesta época e a procura pelas carnes típicas também está bem alta nos últimos dias", afirma Cassaro.

De acordo com a Marcela, mesmo com os reajustes no preço da carne bovina, os consumidores não deixaram de fazer churrasco para comemorar a virada do ano e optam por opções mais acessíveis. "Além das carnes bovinas mais baratas, a linguiça, o frango e o filé mignon suíno estão tendo bastante procura. As peças podem ser encontradas a partir de R$ 21 o quilo", finaliza.

Luana Nascimbene


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: