Jundiaí

Jundiaí discute 17 intervenções necessárias no projeto do Trem Intercidades


DIVULGAÇÃO
Região do Terminal da CPTM e de ônibus urbano na Vila Arens; serão feitos investimentos estruturais na área para a passagem do TIC
Crédito: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Jundiaí, por meio das Unidades de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, de Mobilidade e Transportes e de Infraestrutura e Serviços Públicos, apresentou para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, um projeto com 17 pontos que exigirão adequações viárias para a passagem do Trem Intercidades (TIC), que ligará Campinas a São Paulo com parada em Jundiaí. Essas transposições compreendem um traçado que vai da divisa com Várzea Paulista ao bairro Corrupira, passando pela Vila Arens, onde está a estação de trem e onde serão realizadas obras estruturais para a área de embarque do TIC.

“São investimentos que projetam Jundiaí e nossa Região para o futuro, com um sistema moderno de transporte e estratégico para desafogar o fluxo em outros modais, sobretudo o rodoviário”, explica o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado. “O crescimento e a formação de uma Região Metropolitana de Jundiaí devem vir acompanhados de mais infraestrutura, com impactos na economia do Estado e de todo o país.”

Entre as 17 adequações estão a construção do pátio e da oficina para trens próximos à divisa com Várzea Paulista, a duplicação da ponte sobre o rio Jundiaí e a avenida Frederico Ozanan, uma passagem sob a rodovia João Cereser e a ampliação da ponte e de seu vão inferior na interligação da rodovia Geraldo Dias com a avenida Nicola Accieri, no bairro Corrupira, que hoje são insuficientes para escoar a mobilidade da região.

Também serão feitas obras na atual estação de trem de Jundiaí da CPTM, o que prevê a interligação por passarela do Terminal de ônibus Vila Arens com as plataformas do TIC e também do Trem Intermetropolitano (TIM), que segue até Francisco Morato.

“Com esses investimentos do Governo do Estado – que devem ser feitos por um parceiro privado -, a área da estação passa a ser ainda mais valorizada, com mais desenvolvimento econômico e mais empregos diretos e indiretos na nossa cidade”, explica o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi. “É importante lembrar que na mesma área onde estarão o TIC e o TIM encontra-se a linha férrea de transporte de cargas, que deverá ser separada dos dois serviços. Também está nessa mesma área o Terminal Intermodal de Jundiaí (TIJU), que já recebe e transporta um grande volume de cargas para o Porto de Santos e atende diferentes empresas de nossa cidade. Ou seja, são investimentos fundamentais para o desenvolvimento econômico da nossa região metropolitana e para melhorar a mobilidade das pessoas. O TIC levará 30 minutos de Jundiaí a São Paulo.”

O próximo passo é a assinatura de um Convênio entre a Prefeitura de Jundiaí, o Governo do Estado e a CPTM. A Prefeitura tem feito reuniões com a CPTM e participado de audiências públicas para discutir a implantação do TIC e do TIM, que envolve diferentes cidades da região.

“Há muito tempo que a nossa região espera um investimento como o TIC, pois sabemos que a demanda é grande”, declara o gestor de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, Sinésio Scarabello Filho. “O transporte ferroviário é importante não apenas do ponto de vista do conforto, mas também ao meio ambiente.”


Notícias relevantes: