Jundiaí

Itens tradicionais da ceia de Ano Novo sofrem reajustes de até 30%


                 ALEXANDRE MARTINS
Ana Alves diz que o destaque das vendas desta época é a lentilha
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Presente na mesa dos brasileiros durante as celebrações de Ano Novo, os itens tradicionais da ceia, como frutas da época e lentilha, registraram aumento de até 30% nos preços em relação ao ano passado.

De acordo com a vendedora de um empório no Vianelo, Ana Carolina Alves, o reajuste nos preços acabou afastando os consumidores da loja. "Esperava aumento nas vendas deste final de ano em comparação ao ano anterior, mas por conta da alta nos valores dos produtos da ceia o índice se manteve", afirma Ana.

No empório, o destaque das vendas desta época é a lentilha, que conta com alta procura na última semana do ano. "Temos dois tipos de lentilha, com muita saída em dezembro, em especial a verde, mais procurada, além da vermelha. Ambas custam em torno de R$ 30 o quilo. Além da lentilha, tradição na ceia de Ano Novo, o que também estimula as vendas desta época são as castanhas e frutas secas", diz a vendedora.

Em relação aos reajustes, a vendedora explica que a alta de preços afetou todos os alimentos. "Só na lentilha tivemos alta de pelo menos 10% este ano em relação a 2020. Tentamos segurar o máximo para não perder os clientes, mas é impossível não repassar uma parcela dos valores reajustados", afirma Ana Carolina.

FRUTAS DA ÉPOCA

Além da lentilha, as frutas tradicionais de fim de ano também tiveram os preços elevados. Segundo o proprietário de um quiosque de frutas no Vianelo, Frederico Codarim, o reajuste ao longo deste ano bateu o índice de 30% de aumento em relação a 2020. "Algumas frutas realmente ficaram mais caras este ano e a safra de dezembro é um exemplo disso. A caixa de lichia de 600 gramas era vendida por R$ 12 ano passado e está R$ 15 este ano", afirma Codarim.

Apesar do reajuste de 30% nos preços das frutas do quiosque, Codarim conseguiu manter alguns valores do ano passado. "Mesmo com os preços aumentando ao longo deste ano, consegui estabilizar alguns, como o quilo da cereja, que sai por R$ 80 e a romã importada, que custa R$ 15 a unidade".

MAIS PROCURADAS

Codarim compra as frutas na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e já preparou o quiosque para a última semana do ano. "As frutas mais vendidas até o momento são a cereja, lichia, romã, pêssego, ameixa e figo, clássicas deste período de celebrações de dezembro. Nesta época eu sempre aposto na alta procura pelas cerejas, pois ela só é colhida nesta época e não é tão fácil de achar", explica o proprietário.

(Luana Nascimbene)


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: