Jundiaí

Consumidores optam por quitar contas atrasadas


             ALEXANDRE MARTINS
Marluzia Santana quitou as dívidas para começar o ano mais tranquila
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Para não começar o ano no vermelho e evitar o acúmulo de contas, a prioridade dos consumidores para 2022 é a quitação das dívidas pendentes e o pagamento dos impostos logo no início do ano. Para isso, muitos já começaram a se planejar financeiramente.

Para a educadora financeira Cíntia Senna, a prioridade no início do ano deve ser o pagamento das contas que só acontecem uma vez por ano, como o Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA) e o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). "É importante preparar o orçamento mensal e destinar parte do salário para as contas de janeiro, principalmente o IPVA, IPTU e os gastos com material escolar. Como são gastos elevados, parcelar é uma boa opção para diluir o valor dentro do orçamento e não sufocar nos meses seguintes", afirma a especialista.

Além do pagamento dos impostos em janeiro, Cintia também recomenda a quitação das dívidas inadimplentes, principalmente as com juros altos. "As dívidas que já passaram do prazo de validade também devem ser priorizadas o mais rápido possível, por conta dos juros elevados. Uma das opções viáveis é renegociar estas contas com o credor, sempre com paciência e atenção às multas", diz.

PLANEJAMENTO

Quem já está se organizando financeiramente para começar 2022 sem dívidas é a representante de envios, Maria Aparecida de Oliveira, de 38 anos, que pretende priorizar os gastos com material escolar no início do ano. "Tenho três filhos e nessa época do ano o gasto é todo com eles. Consegui quitar as contas acumuladas para usar parte do meu salário de janeiro com as compras do material escolar", afirma Maria.

Além de quitar as dívidas com antecedência, Maria Aparecida também precisou cortas os gastos excessivos deste ano. "Precisei rever meus gastos e tranquei meu curso para conseguir deixar as dívidas em dia e não ficar inadimplente. Para 2022 espero planejar meu orçamento para que sobre um dinheirinho e eu consiga retomar minhas aulas", afirma a consumidora.

Quem também precisou priorizar o pagamento de dívidas neste fim de ano foi a dona de casa Marluzia Santana, de 49 anos. "Vim ao banco pagar as últimas contas do ano para começar 2022 mais tranquila. Em janeiro vou priorizar a compra do material escolar do meu filho e o pagamento da cirurgia do meu marido", diz a dona de casa.

A organização das finanças, segundo a educadora Cintia Senna, não deve ser feita apenas no início do ano. O planejamento financeiro deve ser definido com base no orçamento mensal disponível durante os 12 meses do ano. "Os consumidores devem ter em mente como será a definição dos gastos e sempre separar uma parte para uso emergencial e desejos pessoais. Se mesmo com o planejamento as pessoas continuarem sufocadas com as contas no fim do mês, os hábitos de gastos recorrentes devem ser revistos e alterados", explica.

(Luana Nascimbene)


Notícias relevantes: