Jundiaí

Operação Chuvas de Verão une diferentes órgãos e segue até fim de março com foco na segurança


      DANIEL TEGON POLLI
Na região há chance de chuva com 35mm, um volume considerado alto
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

A Prefeitura de Jundiaí, com coordenação de sua Defesa Civil, realiza, desde 1º de Dezembro, a Operação Chuvas de Verão. Seu objetivo é atuar em casos de emergência decorrentes das chuvas típicas desta estação do ano (como enchentes e alagamentos), além de executar planos de ação e trabalhos preventivos. A operação segue até 31 de março (podendo ser prorrogada se as condições meteorológicas exigirem).

A Força Tarefa da Operação Chuvas de Verão é composta por todas as Unidades de Gestão da Prefeitura de Jundiaí e de outros órgãos, como a Fumas (Fundação Municipal de Ação Social) e a DAE.

“Trabalhamos sempre de forma preventiva, em busca do melhor, mas temos de estar sempre vigilantes e preparados para enfrentar toda e qualquer adversidade”, declara o gestor da Casa Civil, Gustavo Maryssael, à frente da Unidade à qual a Defesa Civil é ligada. “A Operação Chuvas de Verão, instituída pelo prefeito Luiz Fernando Machado através de um decreto, vai ao encontro do trabalho em plataformas de gestão, ou seja, de forma que todos os órgãos atuem juntos para a solução de problemas comuns.”

Ainda que o período da operação compreenda quatro meses, os trabalhos são realizados o ano todo para se preparar para o período de chuvas. É o caso, por exemplo, do desassoreamento de rios e córregos feito pela Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos, ou de obras que visam melhorar o sistema de água e esgoto, conduzidas pela DAE.

“Tudo isso caminha lado a lado, para que haja mais escoamento da água da chuva e, por consequência, para diminuirmos a possibilidade de alagamentos e mitigarmos o problema de grandes volumes pluviométricos”, explica o assessor especial da Defesa Civil, João Osório Gimenez Germano. “No entanto, é preciso manter o monitoramento o tempo todo, sobretudo em áreas que, sabemos, são mais suscetíveis a problemas como desmoronamentos e enchentes. A comunicação é sempre nossa aliada.” Gimenez declara que, no caso de a chuva ocorrer em tempos mais espaçados, a chance de problemas é menor. “O que preocupa é a grande quantidade de água em um curto período de tempo.”

Índices
A Defesa Civil faz o acompanhamento diário da intensidade das chuvas. Até 80 milímetros em 72 horas, a cidade encontra-se em estado de observação; caso ultrapasse esse índice, o município entra em estado de atenção, o que inclui a vistoria em campo, em áreas anteriormente verificadas como mais vulneráveis.

“Estudos apontam que o solo de Jundiaí suporta um encharcamento de até 80 milímetros em 72 horas, sem causar potencial de riscos e com possibilidade de absorção dessa água pelo solo. Esses dados e acompanhamentos ajudam a nortear nosso trabalho”, diz Gimenez. “Isso não significa que não fazemos monitoramento quando chove menos. Estamos constantemente colhendo informações e buscando nos precaver cada vez mais, utilizando todos esses dados e conhecimentos observados para planejar e programar ações de prevenção nas épocas de pouca chuva, para sempre estarmos preparados para a época de muita chuva.”

Contato
Em caso de problemas, a população deve entrar em contato imediatamente com a Defesa Civil de Jundiaí através dos telefones 199 ou 4586-0666. Em situações de fortes chuvas, ventos e descargas elétricas, as pessoas devem evitar sair de casa e desligar aparelhos das tomadas. Quem estiver no trânsito ou na rua deve procurar abrigo em locais seguros.

Todo munícipe pode cadastrar seu celular, gratuitamente, para receber alertas meteorológicos da Defesa Civil via SMS. Os interessados devem enviar um SMS para o número 40199 com o Código de Endereçamento Postal (CEP) de interesse.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: