Jundiaí

Atendimento a síndrome gripal é o maior da pandemia até o momento

JUNDIAÍ Na cidade, a positivação de covid-19 é baixa, mas o atendimento subiu 57% na última semana em comparação ao pico da pandemia até o momento


            ARQUIVO JJ
O PA Retiro é um dos locais de atendimento para síndrome gripal
Crédito: ARQUIVO JJ

Jundiaí registrou 6.326 atendimentos a síndrome gripal entre os dias 27 de dezembro e 2 de janeiro segundo dados da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS). O número é 57% maior que o registrado no pico da pandemia até então, em março de 2021, quando 4.023 pessoas procuraram o sistema público de saúde em uma semana.

Apesar do aumento, a quantidade de pessoas que testa positivo para covid-19 é de menos 5%. Em março este quantitativo era de 50%.

Com esta demanda, as unidades de saúde, tanto particulares quanto públicas, seguem com alta procura no atendimento. Quem procurou ajuda médica sentiu a sobrecarga dos sistemas. Este é o caso da professora Valdinéia Nascimento, de 46 anos. "No último dia 23 passei no Pronto-Atendimento Hortolândia, mas esperei mais de 6h e não fui atendida. No dia 25 piorei e na segunda tentativa consegui atendimento. Fiz o teste de covid e deu negativo, então fui medicada para conseguir respirar melhor."

A cozinheira Eliana Rosa, de 57 anos, conta que também precisou de atendimento. "Fui ao hospital particular na madrugada da segunda-feira passada (27). Eu estava em estado febril, com muita tosse, dor no peito e garganta coçando. A primeira coisa que o médico pediu foi o teste de covid-19, e deu negativo. Então ele desconfiou que fosse bronquite."

Ela diz ter sido medicada, mas sentiu piora no dia seguinte. "Na terça-feira (28) o hospital particular estava mais cheio e fui à UPA Vetor Oeste, mais próxima da minha casa. Fizeram o teste de covid novamente e deu negativo, mas não fui atendida, tinham umas 200 ou 300 pessoas lá e até tentaram agredir um médico. Só agora, uma semana depois, que estou começando a melhorar."

OUTRAS DOENÇAS

Segundo o município de Cabreúva, foram atendidos na última semana 51 pacientes com sintomas gripais, somando UPA e Santa Casa. Destes apenas 1 teve resultado positivo para covid-19.

Em Campo Limpo Paulista não houve registro de nenhum caso de covid-19 na última semana, mas foram atendidas 3.512 pessoas com síndrome gripal entre Ala Covid, Clínica Médica e Pediatria no município.

A Prefeitura de Várzea Paulista, por meio da Unidade Gestora Municipal de Saúde, informa que durante o período de 28 de dezembro a três de janeiro foram atendidos 485 casos de síndrome gripal, dentre estes, dois deram positivos para covid-19.

Em Itupeva a prefeitura informa que, na última semana, foram atendidos 1.760 pacientes adultos e 847 crianças com sintomas gripais na rede municipal de Saúde. Deste total, 51 adultos testaram positivo para covid-19.

Procuradas, Jarinu e Louveira não responderam até o fechamento desta edição.

BOLETIM

A Prefeitura de Jundiaí não contabilizou nenhum óbito de paciente com covid-19 nesta segunda-feira (3), mas registrou 78 novos casos. Até o momento, a cidade registra 1.633 óbitos desde o início da pandemia e 58.342 infectados pelo coronavírus. Há 175 pessoas em tratamento contra a doença.

Adultos com sintomas gripais podem procurar atendimento 24h na UPA Vetor Oeste e no PA Vila Hortolândia, e no PA Retiro de segunda a sexta das 7h às 19h. Crianças têm atendimento 24h na UPA Vetor Oeste e de segunda a sexta, das 7h às 19h, no PA Covid da Vila Hortolândia (antiga Creche do Idoso).


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: