Jundiaí

Em quatro horas, 15 reclamações de soltura de fogos


ARQUIVO PESSOAL
Vera Mazzetto precisou cuidar de quatro cães que ficaram assustados
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Os fogos de artifício com barulho e os artefatos pirotécnicos de explosão têm o manuseio, a utilização e a soltura proibidos em Jundiaí desde julho de 2020. Mesmo assim, o fim de ano foi marcado pela 'desobediência' e irresponsabilidade de moradores.

Entre às 22h do dia 31 às 2h do dia 1º, a Guarda Municipal recebeu 15 reclamações e deu encaminhamento aos casos por meio de orientação. Uma multa é prevista para quem desrespeita a regra, além de apreensão do material e até interdição de atividade, no caso de pessoa jurídica.

O material ainda é vendido na cidade e, em datas como o Réveillon, provoca extremo desconforto e até acidentes com animais, idosos, bebês e pessoas com autismo. O Jornal de Jundiaí entrou em contato com uma loja tradicional no município, que comercializa os artefatos pirotécnicos, e recebeu resposta afirmativa quando questionou sobre a venda de fogos com estampido.

Segundo a Prefeitura de Jundiaí, a lei municipal nº 9.454 foi sancionada em dois de julho de 2020.

MEDO

Dona de três cachorros e cuidando de mais um neste último Ano Novo, a moradora do Quinta das Videiras, Vera Mazzetto, de 55 anos, conta que houve muito pânico. "Foi um escândalo. Tive que ficar sentada no chão com uma cadelinha no colo e tentando acalmar os outros três. A cadela maior, Cookie, ficou ofegante e começou a babar muito, faltou pouco para ela convulsionar. Não consegui sair para fora de casa para ver quem soltou e denunciar, mas ano que vem, se tiver de novo, vou denunciar."

Ela diz que o problema dos fogos é o barulho alto. "Não sou contra fogos, existem os que têm só brilho, mas os que têm barulho eu sou contra. Uma amiga minha tem um filho autista e passou muito sufoco, é falta de respeito também com idosos e bebês."

Vera conta que no Réveillon a situação foi mais grave, mas os estampidos são constantes. "No fim da minha rua tem um condomínio, soltaram tantos fogos lá que o céu ficou branco. Também soltam rojão em jogos de futebol. Tem o ano todo, mas neste Ano Novo se superaram, com certeza foi muito pior que em 2021. As janelas da minha casa chegaram a tremer."

PROBLEMA

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), os fogos de artifício com barulho prejudicam animais, sobretudo cachorros, por causa da altura do estouro. Os cães têm a capacidade auditiva maior que a dos humanos e, para eles, barulhos acima de 60 decibéis, que equivale a uma conversa em tom alto, podem causar estresse físico e psicológico. Por conta disso, acidentes e fugas são mais comuns nos fins de ano.

(Nathália Sousa)


Notícias relevantes: