Jundiaí

Fechando o ano com 395 casos, Jundiaí foca na prevenção e cuidados contra a dengue

TRANSMISSÃO DA DENGUE Os bairros com maior registro de casos em dezembro de 2021 foram Vila Comercial e Jardim Florestal


DIVULGAÇÃO
Manter lixeiras e ralos limpos é uma das orientações para a prevenção
Crédito: DIVULGAÇÃO

Com o registro de chuvas nas últimas semanas em toda Região Metropolitana de Jundiaí (RMJ), aumentam as preocupações com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Em Jundiaí, de acordo com o último boletim divulgado pela Vigilância Sanitária (Visam), 395 casos foram confirmados em 2021, sendo 322 são autóctones e 73 importados. Os bairros com maior registro de casos foram Vila Comercial e Jardim Florestal.

Em Campo Limpo foram três casos ao longo do ano. Os demais municípios não informaram os índices até o fechamento desta edição.

AÇÕES DE COMBATE

Os dados referentes aos primeiros dias do ano de 2022 ainda estão em processamento, mas a Visam intensificou as ações de controle ao mosquito em toda a cidade.

Tais ações consistem na busca de possíveis criadouros e na orientação da população para eliminação dos mesmos. Além disso, o órgão atua acompanhando áreas de provável risco, como Pontos Estratégicos (PEs) e Imóveis Especiais (IEs), no pronto atendimento às demandas feitas via 156 e na investigação de qualquer caso suspeito.

Campo Limpo Paulista registrou três casos de dengue em 2021 e, mesmo sem incidências neste ano, agentes da saúde iniciam hoje (11), visitas casa-a-casa para prevenir a transmissão da doença e monitorar de focos do mosquito. A ação terá início no bairro Botujuru e os nove agentes capacitados percorrerão outras áreas da cidade.

Em Várzea Paulista também não foram registrados casos de dengue este ano, mas ações de prevenção estão sendo executadas no Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD), que englobam visitação casa a casa, vistoria em pontos estratégicos e imóveis especiais. Neste mês de janeiro especificamente, será realizado o Levantamento Rápido de índices para Aedes aegypti (Lira) para avaliar os níveis de infestação pelo vetor.

Em Louveira as ações de bloqueio são realizadas quando há casos suspeitos, com visitas casa a casa, além de controle nos pontos estratégicos e imóveis especiais regularmente.

ORIENTAÇÕES

De acordo com a Visam, mesmo sem registros este ano, as orientações para prevenção devem ser seguidas para evitar a proliferação dos agentes transmissores, como tapar tonéis d'água, manter calhas limpas, deixar garrafas e recipientes com a boca para baixo, limpar semanalmente e encher os pratos de vaso de plantas com areia, manter lixeiras e ralos limpos, entre outras ações.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: