Jundiaí

Oficinas terapêuticas e atividades multidisciplinares auxiliam na reabilitação

JANEIRO BRANCO Além das oficinas recreativas, são oferecidos atendimentos médicos aos internos


                                                               DANIEL TEGON POLLI
João Alves de Oliveira sempre marca presença nas atividades interativas
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

A campanha 'Janeiro Branco', dedicada aos cuidados com a saúde mental, foca na conscientização sobre as síndromes e a importância da busca pelos tratamentos. Em Jundiaí, por meio de atendimentos e atividades multidisciplinares que prezam pelo convívio social, assistidos do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) buscam reabilitação.

Segundo a assessora de comunicação da Coordenação de Saúde do Caps, Adriana Carvalho Pinto, as oficinas recreativas são essenciais para o processo de reabilitação psicossocial dos assistidos e trabalham o desenvolvimento de habilidades e a questão da convivência social. "São oferecidos atendimentos em diferentes graus de complexidade para dar apoio total aos assistidos. Além das atividades recreativas, as equipes contam com psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, médicos psiquiatras, educadores físicos, fisioterapeutas e nutricionistas", afirma a assessora.

Além de abordar questões multidisciplinares e sociais que as oficinas oferecem, como debates, jogos, palestras e rodas de conversa, os profissionais também prezam pela reinserção dos assistidos no mercado de trabalho. "Temos oficinas voltadas à geração de renda que ensinam os caminhos à reinserção do mercado de trabalho, que é o que a maioria busca quando passa pela reabilitação", diz Adriana.

De acordo com o Coordenador de Saúde Mental, Alexandre Moreno Sandri, os cuidados vão muito além do atendimento em saúde. "Existem diversos fatores relacionados aos hábitos de vida em que o indivíduo pode investir: vínculos sociais significativos, a realização de atividades prazerosas, a prática de exercícios físicos, o acesso à cultura e lazer, o contato com a natureza e o autoconhecimento", afirma o especialista.

ACOLHIMENTO

Um dos integrantes das oficinas do Caps é o interno João Alves de Oliveira, de 33 anos. O assistido recebe atendimento do centro desde outubro de 2015 e sempre marca presença nas atividades interativas. "Eu gosto muito das oficinas esportivas, como futebol e basquete e também participo da oficina de geração de renda, onde a gente transforma arte em materiais para serem vendidos, como agendas. Além das atividades recebo suporte e atendimentos diários dos profissionais do centro, me sinto muito acolhido aqui", diz Oliveira.

ATENDIMENTO

Jundiaí conta com quatro Caps. Dois destinados ao atendimento de adultos (Caps II e Caps III), um infanto-juvenil (Caps IJ) e um álcool e drogas (Caps AD III), além da Enfermaria de Retaguarda em Saúde Mental no Hospital São Vicente de Paulo, voltada para as situações de agravamento da crise psíquica. O município conta, ainda, com uma equipe de Consultório na Rua, um Centro de Convivência (CECCO), duas Unidades de Acolhimento (UAs) e dois Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs).

A procura pelo atendimento deve ser realizada direto no Caps, nos dias úteis, das 8h às 16h, ou pela Unidade Básica de Sáude, sem necessidade de encaminhamento ou agendamento prévios.

À medida que a pessoa identifica sensações como tristeza recorrente, desânimo, sensação de apreensão, medos recorrentes, que se prolongam durante certo tempo e trazem prejuízos à vida cotidiana, é recomendado buscar pela avaliação de um profissional de saúde, que o auxiliará a compreender seu sofrimento e o conduzirá pelo tratamento mais adequado.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: