Jundiaí

Baixas temperaturas aquecem vendas de agasalhos nos comércios

IMPACTOS DO FRIO Mesmo com o inverno começando só no dia 21 de junho, comerciantes estão confiantes com as vendas de roupas e acessórios típicos


 DANIEL TEGON POLLI
O inverno só começa em 21 de junho, mas com outono gelado, comércio se anima
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

Com os termômetros batendo a casa dos 7º graus, o comércio local já começou a sentir o aquecimento das vendas no setor de vestuário. Mesmo com o inverno começando só no dia 21 de junho, a expectativa é de oportunidades para o setor.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Jundiaí (CDL), Edison Maltoni, relata que a queda nas temperaturas neste outono ajuda a impulsionar as vendas no comércio. "Nossa expectativa para esse período é muito positiva. O comércio de Jundiaí oferece uma variedade imensa de produtos de qualidade e preços justos. Esse é o momento para os lojistas atraírem a atenção dos consumidores. Por isso é importante destacar nas vitrines os produtos da estação, fazer promoções, oferecer descontos, montar kits de produtos e facilidades de pagamento", sugere Maltoni.

Para o presidente da Associação Comercial Empresarial (ACE), Mark William Ormenese Monteiro, as vendas já estão aquecidas. "É uma boa oportunidade para o comerciante expor peças de novas coleções, mas também queimar produtos de estoque que podem ser vendidos a preços diferenciados, atraindo a atenção do consumidor. O frio deve auxiliar a recuperação dos setores de vestuário e calçados, segmentos que foram muito prejudicados durante a pandemia", afirma.

PELAS LOJAS

A gerente de uma loja de roupas localizada no Centro, Edileia Alves, conhecida como Morena, está animada com as vendas de inverno. "O frio é tudo de bom para o setor de vestuário. A procura está grande e acredito que o inverno será um sucesso", conta.

Para Edileia, o que mais está sendo procurado são as jaquetas e moletons. "Esse frio pegou os jundiaienses de surpresa. Agora as pessoas estão correndo para comprar peças de roupas quentes para se protegerem", diz a gerente.

A proprietária de uma outra loja de roupas, Vanessa Kiguti, conta que as expectativas para este inverno são boas. "A mudança de clima influencia muito nossas vendas. Acreditamos que esse ano vai ser bem melhor do que o ano passado. Estamos animados".

Para ela a procura por roupas mais quentes estava bem baixa, mas com o frio o fluxo de vendas aumentou. "Já percebemos um aumento de 10% na procura por roupas de frio, principalmente em jaquetas", relata Vanessa.

ESTRATÉGIAS

Para Vanessa, a frente da loja é o grande chamariz. A organização e atendimento são pontos necessários para atrair a atenção do consumidor e alavancar suas vendas. "Além da loja, também utilizamos nossas redes sociais, o WhatsApp e anúncios em rádios. Tudo para chamar a atenção do público", relata.

 


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: