Jundiaí

Educação é um dos principais desafios das Macrotendências

DIA DA INDÚSTRIA Em evento promovido pelo Ciesp, Rafael Cervone, presidente da instituição, ministrou palestra sobre Macrotendências Globais para 2040


  DIVULGAÇÃO
Marcelo Cereser comemora os 70 anos da Regional do Ciesp
Crédito: DIVULGAÇÃO

Para celebrar as mudanças na área industrial de Jundiaí, o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp Jundiaí) promoveu um evento em sua sede com a presença de empresários do setor e do presidente do Ciesp, Rafael Cervone, que ministrou a palestra 'Macrotendências Globais para 2040'. Na ocasião também foi comemorado os 70 anos do Ciesp Jundiaí e a entrega da nova sede.

Uma das principais preocupações e fonte de discussão dos empresários girou em torno do tema educação. Segundo Cervone, por conta da pandemia a qualidade do ensino foi perdida e, por isso, a necessidade de investimentos na área. "Os exames do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) mostraram que temos oito anos de atraso no ensino no estado, mesmo sendo o mais desenvolvido do Brasil. Em oito anos você perde uma geração inteira. Por isso, estamos investindo em programas de reforço, principalmente de português e matemática, além de tutores, contratações, faculdades do Sesi para treinar professores, cursos de MBA em gestão de escola para diretores, entre outras ações", explica Cervone.

A proposta é transferir o modelo ensino do Sesi para o setor público. "Hoje temos uma rede de 200 mil alunos. Queremos chegar em dois anos a 2,5 milhões e depois 6 milhões de alunos. Não vai ser sozinho, é um trabalho conjunto com grandes empresas."

Outra preocupação é a importância estratégica da indústria para a região. Jundiaí mostra-se à frente em diversos pontos. "A Regional de Jundiaí, que engloba outros dez municípios (Cabreúva, Cajamar, Campo Limpo Paulista, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Louveira, Morungaba, Várzea Paulista e Vinhedo) representa 30% do PIB da região. Estudos internacionais mostram que países que dobraram o PIB per Capita ano em até 15 anos só conseguiram esse feito com uma participação da indústria igual ou superior a 25%. Já países que se desindustrializaram não conseguem mais recuperar o desenvolvimento econômico. Por isso esse trabalho de conscientização", explica Cervone.

Cervone anunciou sobre a era digital ao alcance de 40 mil micro, pequenas e médias indústrias. "A Jornada de Transformação Digital é o maior programa de transformação digital da história do Estado de São Paulo que oferecerá suporte técnico gratuito para que as indústrias possam se modernizar de forma organizada e por etapas. O projeto é uma iniciativa Ciesp/Fiesp/Senai/Sebrae e quer atingir 40 mil empresas em 4 anos (10 mil/ano)", explicou lembrando que as etapas inicias serão gratuitas para as empresas.

Na Jornada de Transformação Digital, as etapas iniciais serão gratuitas para as empresas e, nas avançadas, será possível pleitear recursos para financiamento. "Por parte das instituições envolvidas na organização da jornada, o investimento total previsto será de R$ 286 milhões, caso seja atingida a meta máxima", anunciou.

TENDÊNCIAS

Durante a palestra, foram apresentadas possibilidades para a indústria em seus diversos setores, como saúde, alimentos, energia, infraestrutura, urbanização, consumo, trabalho, segurança e entretenimento. O levantamento, que mostra o quanto as mudanças tecnológicas vão causar impacto no consumo, foi desenvolvido pelo Ciesp e pela Fiesp, que analisa as principais mudanças que deverão impactar o mercado e a sociedade até 2040.

Segundo Cervone, até 2040 o PIB mundial deve aumentar 70% (de US$ 137 trilhões para US$ 233 trilhões), a população mundial deve aumentar 18% (de 7,7 bilhões para 9,1 bilhões). A população idosa deve crescer 77% (de 723 milhões para 1,28 bilhão de pessoas - 14% da população mundial), sendo que Mais de 70% desse crescimento será por conta do Leste Asiático e Pacífico, Sul da Ásia e Europa e Ásia Central.

As tecnologias da 4ª Revolução Industrial ou Indústria 4.0 devem passar por um processo de maturação e proliferação nas próximas décadas, alterando profundamente os processos produtivos, o perfil dos empregos, os fatores de competitividade empresarial e das economias, e a configuração das cadeias produtivas mundiais, entre outros aspectos.

O diretor-titular do Ciesp Jundiaí, Marcelo Cereser, mostrou a importância do Ciesp para a região. "Ao longo dos nossos 72 anos, o Ciesp Jundiaí acumulou histórias, conquistas, encampou batalhas, acompanhou o crescimento e desenvolvimento da indústria e hoje é uma das maiores regionais do Ciesp no estado de São Paulo em número de indústrias associadas: são 325 indústrias e mais 35 parceiros, totalizando 359 associados", destacou.

Marcelo Cereser e o vice-diretor Frank Chen receberam os convidados, empresários associados e autoridades de Jundiaí e região, entre eles, o prefeito de Louveira, Estanislau Steck, o gestor municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Cristiano Lopes (representando o prefeito Luiz Fernando Machado); o Delegado da Receita Federal, Bruno Henrique Soares Zoner, o procurador do Estado, Fábio Uema; e o 3º vice-presidente do Ciesp, Luiz Alberto Soares Souza.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: