Jundiaí

Apesar do reajuste, frango assado segue em alta

ALMOÇO DE DOMINGO Comerciantes relatam alta procura, principalmente durante os finais de semana


ARQUIVO PESSOAL
Gustavo Corpas conta que a procura pelo frango assado sempre foi boa, principalmente aos domingos
Crédito: ARQUIVO PESSOAL

Mesmo com reajuste de 21,8% no preço do frango congelado, o clássico do almoço de domingo está cada vez mais presente na mesa dos jundiaienses. Com preços variando de R$ 40 a R$ 75, os comerciantes relatam que o custo-benefício ainda compensa.

De acordo com proprietários de casas especializadas em frango assado, o aumento se deve pela procura aos domingos. Conforme o empresário do setor, Gustavo Corpas, de 38 anos, a procura pelo frango sempre foi boa. "Abrimos o comércio há seis anos com média de venda de 100 frangos por domingo", conta lembrando que se trata de uma renda extra.

A unidade é vendida por R$ 48 e, mesmo não dizendo quanto paga pelo quilo, confessa que o frango assado subiu cerca de 100%. "O aumento não é só pelo gás, a embalagem, combustível, energia elétrica, água, tudo está mais caro e, não consigo repassar o total para o consumidor final", relata Corpas.

O preço varia de lugar para lugar, porém a praticidade em comprar um alimento pronto e que rende é que faz a diferença. O proprietário de uma casa de frango assado, Ronaldo Pereira da Silva, de 55 anos, também relata que a procura está alta. "Nós trabalhamos com encomenda e vendemos 30 frangos aos domingos e feriados, dificilmente sobra algum frango, normalmente vende tudo bem rápido", afirma.

Ele percebeu que o reajuste foi de pelo menos 15% no frango congelado. "Devido ao aumento do frango, tivemos que reajustar nossos preços. Hoje trabalhamos com quatro tipos de frango assado que variam de R$48 a R$75", relata Silva.

Segundo o especialista da HN Agro, Hyberville Neto, o preço do frango congelado, desde o início do ano até agora, subiu 21,8% no atacado. Somente no mês de abril, houve aumento de 4,9%. Apesar disso, as vendas seguem em alta na cidade, conforme relatam os comerciantes.

FONTE DE RENDA

Ronaldo Pereira da Silva tem um comércio há 7 meses e teve uma grande aceitação entre os moradores do Jardim Pacaembu. "Nós optamos em fazer um frango de tamanho maior e suculento, diferente dos demais frangos de padaria, acredito que esse fator tenha influenciado", completa o proprietário.

A proprietária de um bar, Nair Teruko Yagui, no Eloy Chaves, vende frango assado há 28 anos e percebe um aumento de até 50% na procura desde a pandemia. "Hoje eu vendo 30 frangos no domingo e geralmente falta. Faço encomendas já durante a semana e, no domingo, por volta das 11h já acabou todos", diz.

Nair relata que no ano passado o valor era R$40 e passou para R$45. "Pretendo manter esse preço, mesmo com os reajustes, não posso aumentar muito para não perder a clientela. Mas as vendas estão ótimas, nesta época do frio, vende ainda mais", completa.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: