Jundiaí

Mais de 1,2 mil famílias recebem alimentos que não são vendidos

DOAÇÕES Comerciantes não descartam ou revendem, mas doam os alimentos que não são vendidos para pessoas em vulnerabilidade, evitando o desperdício


 DANIEL TEGON POLLI
Carolina de Caldas Teixeira conta que o box onde trabalha faz doações regulares de frutas, legumes e verduras para instituições do município
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

Em Jundiaí, mais de 9.061 pessoas e 1.267 famílias são beneficiadas pela doação de alimentos que não são vendidos, em especial frutas, verduras e legumes. Os dados são do Sesc Jundiaí, que, por meio do Mesa Brasil, faz a coleta e distribuição, evitando o desperdício e alimentando quem precisa. Em 2021, o programa distribuiu 216 toneladas de alimentos para 45 instituições sociais atendidas.

Por outro lado, os alimentos não perecíveis chegam menos às instituições, já que agora muitos deles são revendidos em empórios, ou 'vencidinhos', ou seja, mercadinhos de produtos próximos da validade com descontos.

Quem fala sobre isso é a presidente da Associação de Combate à Aids Infantil (Acai) de Jundiaí, Flávia Botelho. "Antes os produtos que iam vencer eram doados para instituições, hoje são vendidos. Essa doação se transformou em produto rentável, os mercados repassam direto para os 'vencidinhos' e nós não recebemos mais."

A Acai não tem mais este tipo de doação, mas na pandemia firmou parceria com o Mesa Brasil e, assim, recebe perecíveis para crianças que precisam de alimentação completa. "Se a classe média não consegue comprar carne agora, imagina uma família com pai e mãe desempregados e três crianças que convivem com o HIV. Frutas, verduras e legumes complementam a alimentação balanceada que as crianças têm o direito de ter, mas que sem o projeto a gente não conseguiria."

LIXO NÃO

Proprietária de um box de frutas do Entreposto Central de Abastecimento de Jundiaí (Ecaj), onde o Sesc retira alimentos para doação, Aparecida Izabel Santos faz doações para igrejas que ajudam crianças. "Eu faço doação para as irmãs de Louveira e Jundiaí. Elas buscam aqui de segunda, quarta e sexta. A gente sempre doa porque elas ajudam muitas pessoas e as frutas vão para as crianças. Eu sempre dou o que não vendo porque às vezes as frutas estão mais maduras, mas estão boas para suco. Eu também pergunto o que elas precisam e dou", enfatiza.

A auxiliar administrativa de um outro box de legumes, verduras e frutas, Carolina de Caldas Teixeira, comenta que fazem diversas doações e evitam o desperdício. "O pessoal do Sesc vem buscar, mas também doamos para outros lugares, como a Casa de Nazaré, a Mata Ciliar, que pega frutas mais maduras que já não estão boas para consumo humano. Tem alimento que não tem o que fazer e acaba indo para o lixo mesmo, mas a gente procura jogar o mínimo, temos planilha de descarte para esse controle."

A Prefeitura de Jundiaí, através da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (Ugads), informa que, a partir da parceria com o Ecaj, captava e doava cerca de 300 quilos de alimentos por semana, entre frutas, legumes e verduras. Em virtude da reorganização logística que está sendo feita no Banco de Alimentos, porém, a retirada está suspensa por enquanto.

Os alimentos produzidos pela prefeitura, como no Vale Verde, são direcionados à alimentação na rede municipal.

SERVIÇO

O Sesc Jundiaí recebe cadastros de quem deseja doar ou instituições que querem receber alimentos através do Mesa Brasil. Informações pelo e-mail [email protected] ou telefone 4583-4909.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: