Jundiaí

Produtores de Jundiaí se preparam para o cultivo em dias mais frios


 DANIEL TEGON POLLI
Cristovão Padovan conta que para proteger sua plantação de geadas, chuvas e sol intenso, utiliza o sombrite
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

Com a temperatura chegando próxima aos 15°C durante a noite, os produtores rurais se preparam para as colheitas do inverno, mas para manter a qualidade e evitar perdas, estufas e fertilizantes são utilizados ao longo do processo de plantio e colheita. Considerado um período em que as vendas tradicionalmente caem, principalmente para as verduras, outros alimentos entram no topo da lista dos consumidores como os legumes, entre eles, brócolis, couve-flor e abobrinha.

Segundo o presidente da Associação Agrícola de Jundiaí (AAJ), Rene Tomasetto, normalmente as verduras e legumes são os mais prejudicados no inverno, principalmente em caso de geadas. "Infelizmente nesse inverno não tem muito o que fazer. Quem tem a plantação protegida com estufas ou plásticos consegue salvar, mas boa parte das plantações aqui da região é externa", conta.

A Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo (UGAAT) informa que oferece assistência e orientação técnica aos agricultores, além de programas que ajudam diretamente o agricultor no enfrentamento aos efeitos dos eventos climáticos extremos que podem acontecer no inverno.

A UGAAT ressalta que os eventos climáticos extremos como temperaturas muito baixas, geadas por muitos dias seguidos e longos períodos de estiagem, afetam e podem prejudicar qualquer tipo de lavoura. Por isso é importante que os agricultores acompanhem a previsão do tempo e, se for o caso, recorram a práticas que amenizam os efeitos dos eventos extremos do inverno.

O produtor do bairro da Varginha, Cristóvão Padovan, conta que neste inverno está plantando verduras e legumes e, para proteger sua colheita de geadas, chuvas e sol intenso utiliza o sombrite (telas). "Espero que o tempo colabore em julho. A geada nunca é boa para as plantas, mas se tudo der certo espero colher até 1,5 mil pés de legumes neste mês", diz Padovan.

Com destaque para o brócolis, couve-flor e outras hortaliças em geral, o produtor está satisfeito com as vendas e mesmo com o inverno, espera boas colheitas. "Algumas plantações conseguem se adaptar bem ao clima frio e apesar das vendas caírem nesse período, a procura está ótima aqui na roça", completa.

O consultor e agrônomo Caetano de Souza Júnior, produtor de hortaliças e verduras há mais de 10 anos, protege sua plantação com estufas. Ele aplica nitrato de potássio e aminoácido para aumentar a resistência das plantas ao frio intenso. "Planto um pouco de tudo, mas neste inverno os mais procurados são as abobrinhas, rúcula e tomates porque é possível cozinha-las e combinam com pratos quentes", destaca.

O agrônomo se diz esperançoso com o período e acredita em vendas altas. "A qualidade dos alimentos vai ser boa e, segundo as previsões do tempo, não deve ter geadas nesses próximos dias, então espero vender bem as hortaliças e verduras que são consumidas nesta época", informa Júnior.

Giovanna Vianna


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: