Jundiaí

Tempo seco e falta de chuva atrapalham produção rural


DIVULGAÇÃO
Na produção de Rosemeire Fonte Basso existe variedade de hortaliças
Crédito: DIVULGAÇÃO

Produtores rurais de Jundiaí já sentem os efeitos do clima seco do mês de julho, podendo atrapalhar a colheita de agosto. Com a baixa umidade, o solo não oferece as condições necessárias para a produção das hortaliças que secam e desidratam.

Na produção de Rosemeire Fonte Basso de Paula, da Roseira, existe variedade de hortaliças e leguminosas, como ervilhas, brócolis, vagem, espinafre e couve-flor para a safra de agosto. "Apesar da expectativa para o próximo mês, o que atrapalha é o tempo seco. O orvalho da manhã queima a produção", conta.

A ausência de chuva, além de afetar a produção, ainda pesa no bolso do agricultor que precisa contar com irrigação para manter o solo úmido. "Como não temos nenhuma proteção ou estufa, precisamos regar tudo manualmente, então com o sol forte durante o dia, mesmo no inverno, atrapalha bastante a qualidade das hortaliças e a colheita final", relata Rosemeire.

SEM LUCRO

Para o produtor de hortaliças do Rio Acima, Carlos Alberto Diniz, algumas hortaliças como alface, repolho e até quiabo conseguem se adaptar ao clima. "Apesar do tempo seco durante o dia, à noite costuma ser mais fresco e isto ajuda algumas verduras neste momento", diz o produtor.

Apesar dos fatores climáticos, nesta época do ano o consumo de hortaliças é menor, e quem sofre é o produtor. "Com o aumento no valor dos insumos e do combustível tudo aumentou, menos o valor final das hortaliças e verduras. Estamos com o mesmo preço desde ano passado e não conseguimos reajustar para as vendas não caírem, assim os lucros são mínimos", conta Diniz.

Giovanna Vianna

 


Notícias relevantes: