Jundiaí

Bancas se reinventam para seguir no mercado

PARA NÃO ACABAR Mudança no modelo de negócios pode aquecer as vendas e evitar a extinção


 DANIEL TEGON POLLI
Francisco Lazaro vende de tudo sem abrir mão do impresso
Crédito: DANIEL TEGON POLLI

Se antes as bancas vendiam centenas de exemplares de jornais e revistas por dia, com a mudança no consumo de notícias, os estabelecimentos tiveram de diversificar sua oferta de produtos. Segundo a Unidade de Gestão de Planejamento e Meio Ambiente (UGPUMA), em 2021, Jundiaí tinha 68 estabelecimentos cadastrados como bancas de jornal na prefeitura. Este ano, o número caiu para 61.

Essa mudança levou os comerciantes a buscarem alternativas para continuar lucrando. A medida adotada em boa parte das bancas foi a comercialização de bebidas, sorvetes, brinquedos, doces, carregadores para celulares, entre outros produtos.

Para o jornaleiro José Ferreira, há uma mescla de produtos a serem consumidos pelo público, mas não nega que há fidelidade para quem gosta de comprar jornal impresso, como o JJ. "A banca existe há mais de 30 anos e eu trabalho aqui há 11 anos. Hoje em dia as vendas de revistas e jornais estão fracas, caiu cerca de 80% em comparação aos últimos anos", informa.

Segundo ele, a banca se reinventa ao longo dos anos para manter as vendas. "A alta continua somente nas revistas de caça-palavras e palavras-cruzadas. Depois, o que são mais procurados são os chips de operadora, cigarros, sorvetes e o SuperCap. Temos que inovar sempre para atrair os clientes", diz.

Mesmo com anos de mercado, Ferreira acredita que daqui a alguns anos as bancas podem acabar. "Com o avanço da tecnologia, são poucas as pessoas que ainda procuram revistas e jornais e esse número tende a diminuir ainda mais com o passar dos anos", completa o funcionário.

Na banca de Francisco Lazaro Barreto, também no Centro, não é diferente, o proprietário relata que as vendas tiveram queda em comparação aos últimos dois anos. "Hoje em dia, para conseguir lucrar, preciso apostar em outros itens, como bebidas, doces, adesivos, chips de operadoras e recarga de telefone. Temos que inovar e diversificar para continuar no ramo", diz Barreto.

Esperançoso com a melhora das vendas, o proprietário ainda pretende investir em novos itens para atrair o público. "Precisamos chamar a atenção das pessoas que passam pela rua, com isso, pretendo em breve colocar sorvetes e mais opções de brinquedos", conta.

Atualização de cadastro

A Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), por meio do Departamento de Urbanismo, iniciou um processo de regularização das bancas de jornal do município, com a aprovação da Lei n° 9.795, de 30 de junho de 2022.

Para isso, todos os permissionários ou os exploradores de bancas de jornal deverão atualizar seu cadastro no município até o final de agosto deste ano, para garantir seu direito de exploração do local.

Deverão ser enviados para o e-mail [email protected] os seguintes documentos: 1) Termo de permissão de uso, que comprove o direito de exploração de banca de jornal ou documento que comprove que o permissionário anterior deixou de exercer a atividade no local, com a efetiva exploração da banca desde então pelo atual permissionário; 2) Documento com a descrição de todos os produtos e serviços oferecidos no local; 3) Relatório fotográfico da banca e do seu entorno.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: