Jundiaí

Rede de saúde está estruturada para atendimento aos casos de Monkeypox


DIVULGAÇÃO
Nos equipamentos estão disponíveis os insumos para a coleta de exames para análise laboratorial
Crédito: DIVULGAÇÃO

A exemplo do que ocorreu assim que noticiados os primeiros casos de covid-19 no país, a Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) capacitou a rede e definiu a operação para o atendimento aos pacientes suspeitos de Monkeypox (varíola dos macacos). Jundiaí confirmou o segundo caso em residente a partir de exame recebido na última terça-feira (26).

Na cidade, o atendimento para os casos suspeitos está disponível nos Pronto Atendimentos (PAs) e na Clínica da Família Novo Horizonte. Os equipamentos já estão com os insumos para a coleta de exames para análise laboratorial. Após o atendimento ao paciente, a Vigilância Epidemiológica (VE) é imediatamente notificada e passa a fazer o acompanhamento, monitorando o paciente e efetuando a investigação epidemiológica junto das pessoas que tiveram contato com ele.

“Mesmo não sendo uma doença de transmissão tão fácil, rapidamente instituímos os protocolos para o atendimento e passamos a realizar análises diárias do cenário, a fim de conter a proliferação da doença. A rede hospitalar está igualmente preparada, havendo necessidade. Mantendo o princípio da transparência, também informamos a população sobre os casos no município”, destaca o gestor de Promoção da Saúde, Tiago Texera.

A Monkeypox é transmitida quando alguém tem contato próximo com uma pessoa infectada. O vírus pode entrar no corpo por contato com lesões da pele, contato próximo e íntimo e pelas mucosas. São considerados suspeitos os indivíduos de qualquer idade que apresentem início súbito de erupção cutânea aguda, única ou múltipla, em qualquer parte do corpo, incluindo a região genital. Os sintomas também incluem erupções cutâneas, febre, dor de cabeça, dor nas costas ou musculares, inflamações nos nódulos linfáticos, calafrio e exaustão. No último sábado (23), a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou que a doença é uma emergência de saúde pública, de caráter global.


Notícias relevantes: