Jundiaí

Abandono de animais silvestres carece de monitoramento

CENAS DA CIDADE VACAS NO JARDIM DAS TULIPAS
Crédito: Reprodução/Internet
A equipe de reportagem do Jornal de Jundiaí tem recebido uma série de denúncias sobre o abandono de animais silvestres e equinos em áreas rurais. Alguns desses animais são encontrados até mesmo feridos. Um exemplo disso foi o cavalo encontrado no bairro Caxambu na última terça-feira (14). Entretanto, de acordo com o Departamento de Bem-Estar Animal (Debea), órgão da Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), não há estimativa do número de animais abandonados em Jundiaí devido às políticas públicas realizadas pelo município, bem como a cultura local e a dinâmica econômica da cidade. A superintendente da Fundação Serra do Japi, Vânia Plaza Nunes, afirma que em parte a falha no sistema de registro de ocorrências se deve à falta de costume da população em repassar as denúncias. “No aplicativo da Prefeitura de Jundiaí é possível solicitar o recolhimento de animais vivos ou mortos em via pública, mas esse recurso não é muito utilizado pela população”, conta ressaltando a importância de se comunicar aos órgãos públicos sobre casos envolvendo animais. Vania reforça ainda sobre a necessidade de atenção dos condutores, principalmente em áreas rurais. “Os motoristas não observam a sinalização das vias e, assim, acabam atropelando animais silvestres, como cobras e gaviões”, afirma. Mesmo que os dados sejam poucos, o Debea informa que uma pesquisa tem sido realizada para que este levantamento possa ser feito de forma efetiva. "O objetivo será saber não só a quantidade de animais, mas se estão castrados, vacinados e como é a relação das pessoas com eles", afirma. INSTRUÇÃO Em relação aos animais domésticos, como gatos e cachorros, a diretora do Debea,  Daniela Araújo Passos, afirma que os donos justificam o abandono por várias razões. “As principais desculpas são desemprego, mudança de endereço, doenças na família e até crias indesejadas. Há também aqueles que abandonam o animal idoso quando as despesas com veterinário aumentam”, lamenta. Vale ressaltar que o abandono de animais se classifica como maus-tratos de acordo com o Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605 de 1998, podendo ter como punição a detenção de três meses a um ano, acompanhado de multa. Ao ser encontrado um animal abandonado, o Debea  orienta a todos que entrem em contato pelo telefone 156 para que a ocorrência seja registrada.

Notícias relevantes: