Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

‘Acolhe-dor’ oferece atendimento psicológico a quem perdeu direitos

COLABORAÇÃO DE MARIANA CHECONI | 09/02/2019 | 05:05

Um grupo formado por sete psicólogos está disponibilizando atendimento psicológico gratuito e emergencial para pessoas que sofrem de alguma violência física, psicológica ou que de alguma forma tiveram seus direitos supridos pela atual situação política em que o Brasil se encontra.

O projeto Acolhe-dor, como é chamado, tem como principal objetivo amparar as vítimas que sofrem com esses danos. “O plantão não tem caráter terapêutico mas sim acolhedor”, explica Silmara Meireles, uma das psicólogas do projeto. “Queremos ajudar as pessoas a se fortalecerem para que possam cuidar de si mesmas”, diz.

A ideia do projeto surgiu em novembro de 2018, durante o período eleitoral, quando o grupo de psicólogos começou a observar como as pessoas estavam se comportando diante das discussões políticas. Os profissionais avaliaram que as pessoas se agrediam de diferentes formas por conta da divergência de opiniões. Decidiram elaborar um projeto que pudesse acolher quem está sofrendo com essas agressões e muitas vezes não têm coragem de denunciar. “É um movimento de resistência ao atual cenário do Brasil”, afirma Silmara.

ACOLHIMENTO
Os psicólogos ainda não sabem o perfil das pessoas que vão procurar pelo atendimento, pois se trata de algo novo. “Pretendemos documentar todos os dados dos atendimentos para que possam ter acesso posteriormente”, afirma Silmara. A psicóloga acredita que os principais atendidos serão as vítimas de preconceito como LGBT’s, negros, mulheres e todos que de alguma forma se sentem fragilizados emocionalmente e precisem de apoio.

Para ser atendido por algum integrante do grupo é preciso mandar uma mensagem para o número de WhatsApp: (11) 97367-5065. De acordo com Silmara, o número é apenas uma rede para que consigam localizar o ponto mais próximo de onde a pessoa está. O atendimento é realizado presencialmente, podendo ser apenas uma única sessão ou mais de uma, dependendo da necessidade do paciente.

Os atendimentos não serão feitos por telefone nem mensagens, avisa Silmara. “O número não é para esclarecer dúvidas, para isso, temos as redes sociais, como o facebook e o instagram”, ressalta Silmara. A página do facebook pode ser encontrada como: Acohle-dor e o instagram é: @redeacolhe.dor. Nas redes, as dúvidas poderão ser esclarecidas. Os atendimentos serão realizados para pessoas de Jundiaí e região, e que tenham disponibilidade para ir ao local combinado para o atendimento.

P


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/acolhe-dor-oferece-atendimento-psicoligico-a-quem-perdeu-direitos/
Desenvolvido por CIJUN