Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Agulhas que aliviam, relaxam e equilibram

SIMONE DE OLIVEIRA | 20/01/2019 | 04:59

Aplicadas em pontos específicas do corpo, as agulhas de acupuntura são capazes de tratar diversas doenças físicas e emocionais e por isso a técnica tem atraído a atenção de pessoas que desejam se livrar de dores que nem sempre são amenizadas com tratamentos convencionais, ou seja, com remédios. Segundo especialistas, é com a acupuntura que muitos males são tratados.

É o que afirma o ortopedista e acupunturista José Luiz Milani. Ele explica que a técnica auxilia no tratamento de diversas patologias, oferecendo equilíbrio, relaxamento e alívio a dores e tensões, podendo ser aplicada em todos os indivíduos e idades respeitando-se algumas particularidades de cada caso, como gestantes, crianças, aqueles com fobia de agulhas, com coagulopatias (distúrbios da coagulação sanguínea) ou até aquelas com doenças mentais.

“Na Faculdade de Medicina de Jundiaí é oferecido acupuntura gratuita através de encaminhamento médico. Mas para aqueles que fizeram inscrição diretamente no ambulatório, fazemos um avaliação médica para aplicar o tratamento corretamente”, adianta o especialista.

Ele comenta que entre as principais queixas dos pacientes que o procuram estão o estresse, dores e patologias crônicas. “Muitos chegam já em tratamento com outros especialistas, mas nos solicitam um acompanhamento conjunto. São pelo menos 10 sessões com intervalo de 1 semana”, comenta o médico, lembrando que existe uma fila de espera para este atendimento gratuito na faculdade.

De acordo com informações da fisioterapeuta especializada em acupuntura, Juliana Zochetti, a técnica estimula pontos específicos relacionados à manutenção do funcionamento adequado do organismo. A base do tratamento é fazer circular a energia vital, o chamado QI (leia-se Ti). Com ele é possível equilibrar a saúde do corpo. Sem ele as doenças surgem.

“Estudos atuais comprovaram que durante a aplicação das agulhas há uma liberação de substâncias anti-inflamatórias, analgésicas e também sustâncias que nos promovem bem-estar, como a serotonina”, completa.

Segundo ela, partindo do princípio da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) de que toda doença surge de um desequilíbrio energético, as indicações para o uso da terapia são vastas, mas na maioria das vezes a procura é para amenizar dores físicas, como dor na coluna, no nervo ciático, a fribromialgia, enxaquecas, além de depressão, ansiedade, síndrome do Pânico, vertigens, tonturas, rinite, sinusite, tensão pré-menstrual, insônia e outros.

“Para receber acupuntura não é preciso indicação médica, basta ter interesse e procurar um profissional capacitado para tal serviço. A avaliação do acupunturista é feita pelo olhar energético, quer dizer, precisamos ter um diagnóstico energético. Mas se o paciente vem com um diagnóstico médico, isso é perfeito, porque podemos unir as duas visões da medicina”, diz Juliana.

A duração do tratamento depende de cada paciente. “Tudo depende da capacidade de resposta do organismo, mas em 10 sessões conseguimos uma boa evolução. A acupuntura é um dos recursos da medicina tradicional chinesa e junto com ela vem outras práticas que podem ser realizadas, como a moxabustão (espécie de acupuntura térmica, feita pela combustão da erva), as ventosas (tratamento natural no qual são usadas ventosas para melhorar a circulação sanguínea em um local do corpo), a eletroacupuntura (agulhas ligadas a aparelhos), e a auriculoterapia (técnica de usar pontos na pele do ouvido externo para diagnosticar e tratar dor e condições médicas do corpo)”, explica.

Quem utiliza a técnica fala dos benefícios não só do tratamento, mas também do relaxamento que a mesma proporciona. Aos 57 anos, a educadora física Anna Maria Souza Lenhaioli diz que há três anos utiliza a técnica como tratamento alternativo.

Ela conta que gosta de técnicas que permitem um alinhamento corporal completo, ou seja, que abranja o corpo e a mente. “Estava com umas alergias, coceiras, e sabia que era tudo de fundo emocional, tanto é que sumiram”, comemora.

Anna acredita que as agulhas dão energia física e emocional. “Faço semanalmente uma sessão e pretendo continuar com essa prática tão sadia, que me deixa relaxada e equilibrada.”

 

 


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/agulhas-que-aliviam-relaxam-e-equilibram/
Desenvolvido por CIJUN