Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Alento e solidariedade em meio ao caos e às notícias do vírus

Nathália Souza | 02/04/2020 | 10:00

Ações de jundiaienses fazem a diferença nesse momento delicado, tanto para a saúde pública, quanto para a economia. Há uma grande quantidade de pessoas sem trabalhar e uma parcela delas está sem salário, seja porque trabalham por conta própria e tiveram que parar suas atividades, seja porque foram demitidos por conta do fechamento de seus postos de trabalho ou até mesmo porque já se encontravam desempregados.

Em meio às dúvidas e incerteza, há algumas pessoas que fazem a diferença e oferecem ajuda a quem precisa. Ronaldo Cera é proprietário de uma padaria no Jardim Tulipas e, há um tempo atrás, o pão que saía do forno e não era vendido virava farinha de rosca, mas há cerca de um ano isso mudou.

O comerciante começou a colocar uma parte da fornada dos pães de lanche gratuitamente à disposição de quem não podia comprar, mas diante da atual situação resolveu acentuar mais a ação e dividir a fornada dos pães franceses entre as vendas e as doações. “Eu voltei com isso faz pouco tempo e tem duas famílias que vêm sempre buscar o pão. Também já ajudei eles com dinheiro. Não sei se as pessoas ficam constrangidas, mas é um gesto feito com o coração”, diz o empresário que ainda pretende alcançar mais pessoas.

O comerciante da Vila Comercial, Islan Luiz Vizicato, também faz doações, mas lamenta que haja pessoas que têm agido de má-fé. “Há uns cinco meses eu vi que em uma cidade alguém fazia essa ação. Eu sempre falava que queria fazer e não fazia. Agora, com essa situação, foi o momento de ampliar meu trabalho. Na parte da manhã há sempre um grupo de senhoras que retiram os produtos”, conta Vizicato.

Ao contrário de Ronaldo, na padaria de Islan há bastante procura, mas o único problema são as pessoas que não são carentes e, mesmo assim, vão em busca das doações. “Mesmo depois desta pandemia pretendo continuar com as ações, mas espero que as pessoas entendam que os pães são para quem realmente precisa.”

Cestas

E, observando de perto as condições difíceis de quem trabalha por conta ou está sem trabalho, a fisioterapeuta Camila Lopes Zanetta também resolveu dar um primeiro passo para ajudar. Ao perceber que sua diarista estava passando por dificuldades, tanto pela perda de trabalho quanto pela falta de emprego de seu marido, ela resolveu ajudar. “O marido dela estava desempregado e ela tem dois filhos. Resolvi então me unir a uns amigos e familiares para organizar uma vaquinha on-line e arrecadar fundos para a aquisição de cestas básicas que serão doadas às pessoas que mais precisam”, explica Camila.

A divulgação do projeto ‘No Prato’ tem sido feito pelas redes sociais, entre os familiares e grupos de amigos. “As doações ainda não atingiram a meta estabelecida para a compra dos alimentos que será feita daqui a 10 dias. A gente não terminou a vaquinha, até agora temos um quinto do valor”, adianta.

Ela espera que mais gente possa ajudar. “Nesta fase de individualidade e minimização do contato humano, a união faz a força porque se todo mundo der um pouco, vira muito”.

Serviço
Doações na Padaria Ibiporã

Rua Ibiporã, 567,

Vila Nova Jundiaí

Doações na Padaria Tulipas

Avenida Adelino Martins, 1221, Jardim Tulipas.

No Prato: Para ajudar na vaquinha, basta acessar abacashi.com/p/noprato


Leia mais sobre | | |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/alento-e-solidariedade-em-meio-ao-caos-e-as-noticias-do-virus/
Desenvolvido por CIJUN